quarta-feira, 31 de julho de 2013

Fui viajar de ônibus e cheguei com a bucetinha toda meladinha

Olá a todos o meu Lucila , e tenho 23 anos , morena clara , 175 alt , 65kg , olhos castanhos claros ,pernas grossas , seios durinhos , bunda grande , e sou solteira a afim de um relacionamento.
Esse acontecimento no ônibus de viagem é real , e aconteceu as duas semanas atrás. Eu fui passar um final de semana na casa de uma amiga na praia grande litoral sul de são  paulo.
Eu fui para rodoviária em sábado por volta da 22:00 hs em um sábado para comprar a passagem na hora , e quando comprei já tinha um ônibus que já  ia sair em 10 minutos , então eu comprei e fui e a minha poltrona e era meio do ônibus e o meu lugar era no corredor , e no lado da janela tinha um homem na faixa de uns 45 anos.
Eu estava vestida com uma calça jeans e uma agasalho por que estava um pouco frio , e o homem do meu lado estava de calça jeans e uma camisa de manga longa. Então eu sentei comecei a cochilar , e o homem do meu lado começou a chegar bem perto de mim , eu acho que estava fingindo que estava dormindo , e comecei a sentir alguma coisa encostando na perna , e então eu olhei bem discretamente e era a mão dele que estava batendo nas minhas pernas , e até ai tudo bem , mais conforme o ônibus balança a mão dele encostava cada vez mais em mim , e quando fui perceber a mão já estava me acariciando . E eu sem namorado e muito carente deixei a mão dele ficar na minhas pernas , mais só que cada vez a mão chega mais perto da minha bucetinha , e eu comecei a ficar excitada , e relaxei e deixei ele ficar me acariciando.
Mais ele era muito safado e não estava contente só ficar acariciando a minhas pernas , a mão dele subiu para minha barriga e desceu para a minha buceta , e eu que estava louca de tesão fingindo que estava dormindo comecei a cair para o lado dele , e foi quando ele percebeu que eu estava deixando subiu a mão para os meus seios e ficou acariciando.
Eu já tinha me entregado , e ele desceu a mão novamente para a minha buceta , e abriu o zíper da minha calça , e ficou com dedinho na minha buceta por cima da minha calcinha , e ficou brincando com a minha xaninha , e começou a enfiar o dedo nela , e gozei eu acabei gozando com o dedo dele dentro da minha bucetinha , e chegamos no ponto final a minha amiga já estava me esperando ,  e se fosse a minha amiga me esperando , eu acho que iria dar a minha bucetinha para ele , foi minha primeira experiência assim , e adorei fiquei muito excitada.
Quando cheguei na casa da minha fui tomar banho que estava com a bucetinha meladinha.
Até o próximo acontecimento.
Deixe o seu recado .Beijinhos molhados

terça-feira, 30 de julho de 2013

Casada excitada bricando com fogo

Oi gente o meu nome é Simone , sou casada , tenho 33 anos , loira , 180 alt , 70 kg , seios grandes bem durinhos , pernas grossa e bunda media bem durinha.
Bom eu casada a 8 anos , e tenho um comercio no centro da cidade de são paulo , e quando não vou trabalhar de carro , sempre vou taxis , e o taxista é de confiança da família , nós sempre chamamos por segurança.
O taxista é casado e tem 40 anos , e sarado e bem gostosinho , e sempre que chamo ele para me levar para o trabalho nós conversamos muito sobre tudo.
Mais um dia eu fui trabalhar de saia social e camisa social , e eu sempre sento no banco de trás , e conversando com ele comecei a perceber que ele estava olhando para as minhas pernas pelo retrovisor do meio carro , e como eu gosto de provocar os homens bem discretamente , eu abrir um pouco as minhas pernas ele ver a minha calcinha , e abrir um pouco a minha camisa , e deixei ele ficar excitado , mais até ai tudo bem eu provoquei ele , e desse dia adiante sempre que eu ia de taxi , eu usava uma saia para provocar , e também me deixava excitada vendo um cara louco de tesão para comer a minha buceta.
E foi assim durante um mês , mais em um dia de sábado , eu queria ir shopping , e chamei o meu marido para ir comigo , e o meu marido disse que não podia ir , e então fiquei com raiva , e coloquei um vestido sexy , e chamei o meu taxista para me levar no shopping , mais estava com tanta raiva que quando o taxi chegou de vez eu sentar atrás como era de costume , eu sentei na frente.
E no caminho pegamos trânsito , e comecei a perceber que toda o que ia passar a marcha , ele batia a mão nas minhas pernas , e isso estava me deixando excitada , e eu conversando com ele coloquei a minha mão em cima da dele , e ele como safado ficou a acariciando a minha mão , e começou a pegar nas minha pernas , e eu que estava molhadinha deixei , e ele passou a mão por baixo do meu vestido e ficou acariciando as minhas pernas bem perto da minha buceta , e quando chegou na minha calcinha , ele ficou acariciando por um tempo , e começou a enfiar dedinhos na minha buceta , e eu comecei a passar a mão no pau dele , e abrir o zipe e fiquei acariciando , mais nós ficamos só caricia.
Eu falei para que não coragem de trair o meu marido , porque ele não merecia , e que ele me ajudava muito , e que eu podia as ficar na caricia com ele , mais não deixaria ele me comer.
E sempre que eu trabalhar nós trocávamos  caricias , até que um dia nós resolvemos entrar em um sex drive para ficar mais a vontade , foi quando ele me chupou , e ele enfiou a língua no cuzinho , chupou a minha buceta socando a língua lá dentro , esfregou a rola meus seios , e eu chupando o pau dele , e ele com os dedos no meu cuzinho ,  e gozei muito e fiz ele gozar que nem um louco , mais não deixei ele penetrar apesar dele ter tentado muito.
Ele falava para mim que eu a mulher gostosa que já teve na vida dele , que largaria tudo para ficar comigo , e que estava muito apaixonado por mim , e queria se casar comigo.
Eu disse que isso nunca ia acontecer porque eu amo muito meu marido , e que aconteceu foi somente uma fantasia sexual ,  e ele começou a encher muito o saco , que eu acabei trocando de taxista.
Se ele fosse esperto estamos brincando bem gostoso de caricias , e ninguém iria ficar sabendo.
Não é atoa que o meu marido é louco de ciúmes , é que eu deixo os homens loucos de tesão.
Beijinhos até o próximo acontecimento.
Se você gostou gatinho deixe seu RECADO ou seu E-MAIL .

segunda-feira, 29 de julho de 2013

O meu cunhado me pegou jeito , e me deixou de cuzinho arrombado

Olá a todos , eu sou a Camila , e tenho 17 anos  , sou morena , olhos castanhos esverdeados ,160 alt  , 55 kg , seios pequenos mais bem durinhos , e um bumbum médio bem durinho.
Eu cuido do meu sobrinho para a minha irmã ir trabalhar  , ela e o marido  , em troca ela me da uma grana para me ajudar.
Mais um dia foi  diferente do normal  , quando eu estava no quarto com o meu sobrinho , chega o meu cunhado do trabalho muito mais cedo do que o normal , ele me disse que saiu mais cedo , e que ia tomar um banho , e depois ia sair para resolver uns problemas particulares , mais não ia demorar e que depois eu poderia ir para a minha casa , e que ele cuidava do seu filho , e então eu disse tudo bem .
Eu estava tentando fazer a criança dormir , e o meu cunhado tomando banho , e então me chamou , e eu fui ver o que queria , e ele me pediu para eu pegar a sua toalha que ele tinha esquecido no quarto , e eu fui levar a toalha para ele , e quando bati na porta , ele abriu a porta com tudo , e eu vi ele pelado , e rapidamente eu virei o rosto e dei a toalha , mais deu para ver a rola que grande e grossa.
Até ai tudo voltei para o quarto e a criança dormiu , e eu aproveitei para dar uma cochilada enquanto  o a criança dormia , me deitei de com a bunda para cima , e estava bermuda jeans curta e bem apertada , e quando estava deitada fingindo que estava dormindo , e eu senti alguma coisa pegando na minha bunda , e eu sabia que era o meu cunhado , mais continue fingindo que estava dormindo , uma mão grossa pegando minha bunda e nas minhas pernas.
O meu cunhado é muito safado , começou a tirar a minha bermuda , e como eu fiquei muito excitada eu deixei , e eu fingindo que estava dormindo , e ele ficava pegando na minha bucetinha por cima da calcinha , e ficava acariciando , ai ele tirou a minha calcinha , e começou a chupar a minha bucetinha com o dedo no meu cuzinho , ai eu não aguentei comecei a gemer muito de tanto tesão.
Para não acordar a criança ele me pegou no colo e me levou o outro quarto , e quando chegou no quarto me jogou na cama , e comeu a me chupar inteira , a minha buceta bem pequena e apertada , e quando ele chupava os peitinhos com os dedos na minha buceta parecia que era rola dele , porque os dedos eram grosso.
Então você imagina se os dedos era assim , e quando fosse socar a rola minha buceta , e então chegou hora dele comer a  minha bucetinha , o que fez me pegou no colo , e sentei no pau , e ele me encostou na parede , e eu sentada no pau dele  , e então que entrou até as bolas na minha bucetinha , e gozei ali no mesmo no pau dele.
Então depois me colocou na cama e me deixou de quatro , e comeu o meu cuzinho se dó , que era virgem ainda nunca tinha dado o cuzinho , nossa ele deixou o meu cuzinho bem arrombado , e depois gozou dentro da minha bucetinha.
Eu acabei ficando grávida dele , mais assim que fiquei sabendo que esta grávida , e então eu dei para o meu namorado sem camisinha e deixei ele gozar dentro para ele achar que me engravidou.
Hoje o meu filho tem 4 anos , e até hoje nem o meu cunhado não que o filho é dele , e o meu namorado e que hoje é o meu marido até hoje ele acha que o filho é dele , mais pai é o cria.
A minha irmã que me perdoe , e ela nunca fique sabendo que jamais quero vela magoada , e só aconteceu uma vez , e depois do acontecido , eu pedi demissão do emprego de babá  .
Até o próximo acontecimento.
Deixei o recado e o seu e-mail quem sabe eu não entro em contato com você.
BEIJOSS

quarta-feira, 24 de julho de 2013

A brincadeira abusada do meu amigo me deixou arrombada

Meu nome é Cintia , e tenho 17 anos , sou loirinha baixinha , minha bunda é pequena e bem durinha , meus são médios , e bem durinhos , sou bem tesuda.
Eu tenho um amigo o nome dele de Mauricio , e tem 21 anos , e ele planejou uma brincadeira comigo e com os seus amigos .
Então ele me disse que tinha uma festa na casa de dele , em um sábado a noite , e que era mim que ia ter bastante gente , e então eu pedi para os meus pais deixarem eu ir na festa , até menti para os meus pais dizendo que a festa era na casa de uma amiga.
E os meus pais deixaram , e então fui na festa , quando cheguei na casa dele eu bati na porta , e o meu amigo veio abrir a porta , e quando entrei na casa estava tudo escuro , e parecia que não ninguém na casa , e eu perguntei para o meu amigo o que estava acontecendo , e porque estava tudo escuro , e não tinha convidados , e o meu amigo disse para mim que só chegou cinco amigo dele até o momento.
Pedi para acender a luz , mais quando ele acendeu a luz , eu tomei aquele susto , os cinco amigos dele estavam na sala todos pelados na sala , e eu fiquei assustada e ia embora , mas o meu amigo fechou a porta e pediu para mim ter calma , e perguntei para o que estava acontecendo , e ele me disse que era só uma brincadeira , e que era ver a minha reação  , e que eu podia ficar sossegada que ninguém fazer nada que eu quisesse .
Os amigos dele chegaram perto de mim para me complementar , e todos tinha uma rola enorme , eu estava assustada mais fiquei excitada quando chegaram bem perto de mim as aquelas rolas enorme bem perto de mim , e começamos a conversar , e um deles começou a pegar de no meu cabelo , e outro na minha cintura , e o outro na minha bunda , o outro no meio seios , e avançaram em mim pegando na minha bucetinha , e eu me soltei e deixei eles abusarem de mim , e o meu amigo pegou a sua rola e socou na minha boca com toda força ,e  tinha língua no meu corpo todo , e muitos dedos na minha bucetinha e meu cuzinho , e começaram a me comer , tinha tanta rola em cima , e fizeram uma dupla penetração em mim me deixando arrombada ,  gritava de tanta dor , e meteram duas rola dentro da minha boca no mesmo tempo , e  todos me fuderam , e eu fiquei arrombada mesmo , e gozaram juntos na minha boca e no meu rosto , e eu fiquei três dias usando fraudas porque eu não conseguia segurar , e eu não sair de casa durante três dias porque toda dolorida.
Nossa fizeram de uma verdadeira putinha , e não nunca mais confio no meu amigo , apesar que foi uma delicia , e não fiz nada que eu queria.
A antes desse acontecimento o meu cuzinho virgem e a minha bucetinha pequena era apertadinha , mais mesmo assim continua uma delicia .
Quer provar vem!
Deixe seu recado e o e-mail quem sabe.
Beijoss

quinta-feira, 18 de julho de 2013

O estranho pintudo no ônibus me deixou louca de tesão .

OI a todos! O meu nome é Samantha , tenho 18 anos , morena baixinha , bunda grande , pernas grossa , cintura fina e seios médios bem durinhos.
Eu fui trabalhar , e sair atrasada para ir trabalhar , e então cheguei no ponto final do ônibus , e peguei o primeiro ônibus que estava saindo , e então o ônibus estava quase com todos os lugares ocupados , só tinha dois lugares , e sentei em um deles que era no meio do ônibus no lado do corredor no ônibus.
Então conforme o ônibus passava no pontos ia enchendo , até que começou a ficar lotado , e do lado que estava sentada encostou um loiro até bonitão e sarado , e deveria ter na faixa de uns 35 anos , era um gostosão.
E eu comecei a dormir , e comecei a dormir , e senti um volume no meu rosto , e então acordei e disfarcei eu olhei para ver o quer era , e quando olhei o rola dele esta batendo no meu rosto , e como o cara era gostoso , eu fingir que estava dormindo e cair para o lado dele , e ele começou a passar a rola no meu rosto que parecia ser pintudo que deveria ter 19 cm pelo o volume.
Nossa eu fiquei muito excitada , e a minha calcinha já estava molhadinha , eu não sabia o que fazer de tanto tesão , e eu tinha vontade meter a boca na naquela rola.
Eu queria muito aquela rola minha bucetinha , mais o cara desceu antes ,  e continue muito excitada e fui trabalhar louca de tesão , e quando eu estava na minha mesa no trabalho eu ficava toda hora passando a mão na minha bucetinha , eu queria muito gozar.
No meu trabalho eu tenho uma amiga que ela é bissexual , e somos muito amiga contamos tudo uma para a outra , e quando e fui almoçar chamei ela ir junto comigo , e contei comecei a contar para o que aconteceu no ônibus , e que eu fiquei muito excitada.
E a minha amiga disse nossa que delicia , e disse que tinha ficado excitada  só em eu contar para ela , e ela sabendo que eu fiquei excitada , e na mesa do restaurante passou a mão na minha perna , e eu fiquei de louca de tesão , e  quase gozei ali mesmo na mesa.
Ela me disse que sabia que , eu não curtia mulheres , e que só queria fazer eu gozar com os dedinho.
Quando voltamos para trabalhos antes de começar a trabalhar , fomos no banheiro no banheiro , e ela meteu dedinho na minha bucetinha , e deu uma chupadinha na minha bucetinha , e foi tão gostoso que gozei na boca dela.
O foi dia de louca , mais eu adorei foi muito excitante.
Gatinhos deixe o recadinho e o seu e-mail quem sabe não combinamos.
Até o próximo acontecimento.
Beijoss

quarta-feira, 17 de julho de 2013

O patrão da mãe me deixou toda arrombada

Oi o meu nome é Ana sou loira , tenho 22 anos ,170 ,60kg , e tenho pernas grossas , e uma bunda linda.
Bom tudo começou quando comecei ajudar minha mãe onde ela trabalhava , em uma casa de família de ricas , e eu cuidava do neto dos donos na casa , era um japonesinho , e ele gostava muito de soltar pipa , e eu sempre tinha que levar para soltar pipa no condomínio , e eu sempre percebi que o avô dele é um homem de meia idade , e bem dotado um moreno de traços mineiros olhava muito para os meus seios , minha boca e bunda  e que por sinal são os que eu  mais gosto em mim . E eu percebir isso , e comecei frequentar a casa dele com uma  saia , shorts curtos , camisetas regatas , mais nesse dia em especial fui de vestido , e era um vestido tomara que caia , curto , e de flores rosa e verde , e nesse dia a mulher do “marcos” , saiu para fazer compras e levou o neto junto , e então estava só  eu e a minha  mãe e o marcos na casa , a minha mãe havia pedido pra mim limpar um vidro enquanto o garoto não chegava , e enquanto eu limpava o vidro , eu senti uma mão na minha bunda que passava por baixo do vestido e derrepente o marcos me sussurrou ‘vou te esperar lá no meu quarto gostosinha , quero comer esse rabinho que deve ser delicioso’ na hora eu congelei e não falei nada , e então ele foi ate minha mãe e a dispensou , e disse que era pra mim ficar pois a noite ele iria sair com a mulher dele e pediu pra mim ficar olhando o neto dele , eu apenas concordei e abaixei a cabeça e voltei limpar o vidro , e então se passou um tempo e minha mãe foi embora , e eu fiquei com o coração na mão , mais pensei em tirar aproveito da situação , e então ele me chamou no quarto dele , quando cheguei na porta ele estava totalmente pelado batendo uma punheta , o pau dele era enorme deveria ter 20 cm grosso , e então ele sorriu e disse vem princesa pega no meu pau , e eu entrei e abaixei a minha saia e fiquei calcinha , e cheguei perto dele , meteu a língua no meus seios , e colocou o dedo na minha bucetinha por cima da minha calcinha , e os dedos era grosso , e ele colocou um dedo na bucetinha e o outro dedo no meu cuzinho , e eu peguei sentei na boca dele para meter a língua na minha bucetinha e no meu cuzinho ,  e enquanto isso eu chupava a rola enorme dele , e ele gemia alto e me disse que ia gozar , então , e eu disse goza na minha boca…ele me disse’ não eu quero gozar na tua bundinha’, e então ele  me colocou de quatro . e começou a comer a bucetinha , só que estava difícil porque a rola muito grossa , e não estava entrando até que ele forçou pouco , e entrou me deixando arrombada , e eu não estava aguentando  , e ele tirou colocou no meu cuzinho e deixando mais arrombado ainda ,e eu acabei gozando naquele pau enorme , e ele gozou junto , e me dispensou e me disse’ se arruma putinha , que minha mulher deve estava chegando ’passou uns 20 minutos e a mulher dele chegou , e eu levei o neto dele para soltar pipa como de costume , então Marcos veio por trás de mim e ficou me enconchando na frente do neto , então me disse que eu já podia ir embora pois os pais do neto dele estava vindo pra levar o garoto embora.
Nossa fiquei três dias ir trabalhar fiquei toda assada e com o cuzinho todo ardido , mais adorei aquela rola enorme.
Até próximo .
Deixe o seu recado com o e-mail - BEIJOSSSSSS

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Um estranho roludo deixou a minha calcinha molhadinha no ônibus

Olá tudo bem!
O meu nome Claudia , tenho 23 anos , branca , 179 altura , 70kg , corpo atlético , falam que sou gostosa.
Bom estou desempregada a 2 meses , e eu tinha uma entrevista de emprego na lapa em são paulo - capital.
Eu moro em interlagos e tinha que pegar o ônibus lapa no lago do socorro , umas 6:00 horas da manhã , e esse horário o ônibus vem lotado , então consegui pegar o ônibus e estava muito cheio , e eu conseguir ficar em um canto no ônibus , e um cara encostou bem atrás de mim , no começo estava normal ele não estava fazendo nada , mais aos poucos percebi que ele ficou encostando um pouco mais , e comecei a senti um volume encostando na minha bunda.
Eu estava vestida com uma roupa social própria para a entrevista , e a calça é tecido fino , e quando o cara encostava eu sentia a cabeça do pau dele entrando na minha bunda , e parecia que o pau dele enorme , porque quando encostava parecia que estava entrando na minha bunda.
O ônibus estava lotado , e ele começou me apertar e socando o  seu pau na minha buceta , e fiquei assustada pensando que ao pau  dele tinha rasgou a minha calça , eu disfarcei , e passei a mão na minha bunda para ver se estava tudo bem , mais era porque o pau dele era enorme , eu sentia como se estivesse entrando na bucetinha .
O cara parecia um jegue nunca eu vi uma rola daquele tamanho deveria ter 25 cm ,o cara era muito safado , e ele desceu uma das mãos que estava segurando ferro , e começou a passar a mão na minha cintura ; até chegar no meus cheios , e fez uma caricia no meus seios deliciosa , e ele fez de jeito muito discreto que não dava para ninguém perceber nem quem estava perto ,  eu sentia aquele pau enorme na minha buceta , e os meus seios sendo acariciados  , e eu fiquei muito excitada tanto que gozei a minha calcinha.
Cheguei na entrevista com a minha calcinha molhada , mais eu adorei porque foi a minha primeira experiência assim no ônibus , e foi primeiro cara que me fez gozar me  encochando.
Até o próximo acontecido.
Beijos bem molhadinhos como a minha calcinha ficou. 1000000000 Beijos.
Deixei o seu recado e e-mail gatinho.

terça-feira, 9 de julho de 2013

O filho novinho pintudo da minha amiga comeu a minha buceta

Oi gente o meu nome é Fabiana tenho 38 anos e sou a casada 9 anos.
Sou loira 179 alt , 70 kg , seios médios bem durinhos e pernas grossa e uma bunda bem empinada , pena que o meu marido não da valor , quase não me come.
A minha vizinha é a minha melhor amiga e sempre vou na casa dela para conversamos , e ela tem filho 16 anos que se chama marcos , e é um tarado .
O filho da minha amiga trabalha e estuda , e sempre quando vou na casa dela é muito difícil encontrar ele em casa ,  mais um dia ele estava de folga , e fui na casa dela para conversar com a minha amiga e ele estava no sofá assistindo televisão.
E neste dia eu estava de saia curta quase uma mini saia e um decote mostrando metade do seios , eu sempre me visto assim quando estou perto de casa , e como sempre vou na casa da minha amiga , e ela esta sozinha não vi nenhum problema de me vestir assim.
Então eu dei boa tarde para ele e perguntei da mãe dele e se ela estava , e ele me disse que a mãe estava arrumando o quarto e que ela já ia descer ,  e falou para mim sentar no sofá , e fui chamar a mãe.
Então ele voltou e disse que ela já estava vindo , e então fiquei aguardando no sofá , ele voltou sentou no sofá e o tarado ficou olhando para as minhas pernas , mais não chegamos a conversar.
Eu disfarcei e dei uma olhada para ver se ele estava de pau duro e estava , e não era pequeno . Nossa me subiu um fogo entra as pernas que a minha calcinha parecia que ia pegar fogo , e então eu abrir um pouco mais pernas para ele ver a minha calcinha , e eu percebi que esta louco de tesão.
E a mãe dele chegou e ficamos conversamos na sala , e o tarado não tirava o olho da minha bucetinha , e como o meu marido não estava comparecendo na bucetinha , e eu estava muito excitada.
Então ele levantou e foi na cozinha pegar alguma coisa e quando voltou de vez ele sentar aonde ele estava , não sentou do meu lado.
A mãe era uma boba não percebeu que ele com a sua mão boba , querendo encostando nas minhas pernas bem devagar , e como eu já estava molhadinha deixei ele ficar acariciando a minha pernas .
Nossa a minha bucetinha estava pegando fogo , ele percebeu que eu estava excitada , e  cada vez que a mãe olhava para o outro lado ele pegava na minha pernas até chegar na minha calcinha.
Nossa e ele continuo a abusar de mim e sempre que podia passava a mãos no meus seus seios, na minha bunda , na minha buceta , e eu já tinha me entregado para ele.
Até que eu peguei no rola dele que era enorme e grossa deveria ter uns 20 cm nunca tinha pegado em uma rola tão grande e grossa como daquela.
Eu queria dar a minha buceta para ali mesmo no sofá mais a mãe estava sempre perto então ficamos trocando caricias até aparecer um oportunidade.
Até que ela falou que iria no mercadinho comprar açúcar , e falou que voltava rapidinho  , e então foi a única brecha que apareceu , e falou no meu ouvido a gente tem 5 minutos , e ele foi muito rápido porque a gente tinha pouco tempo . Me beijou metendo a mão na minha buceta , e colocou de quatro no sofá e enfiou a sua rola com tudo na minha buceta sem dó , nossa ele me arrombou , e eu gritei quem nem cadela ele gozou dentro da minha buceta e  saiu muita esperma , fiquei arrombada e toda melada.
Ele não tinha experiência , mais foi uma das rolas mais gostosas que comeu a minha buceta , e depois dei novo para ele mais na minha casa , e dessa ele arrombou o meu cuzinho.
A minha amiga que me perdoe o seu filho tem uma rola que uma delicia.
Depois dessa experiência fiquei louca por rola grande e grossa.
Gostou deixe o seu recado com o e-mail.
Até próximo acontecimento.
beijosssssssssssssssss

Fiquei muito excitado com a minha medica dermatologista

Olá sou Alessandro tenho 29 anos , e sou separado a três anos.
Vou contar como tudo aconteceu , eu estava com uma alergia no meu saco , ficava muito irritado e avermelhado , e então procurei o urologista para dar uma olhada para ver o que tinha acontecido e fazer o tratamento.
Então o medico urologista examinou e disse que uma alergia na pele , e que era bom eu fazer um tratamento com uma dermatologista porque era especialidades deles , mais eu disse para o médico que não poderia porque a minha dermatologista era mulher lindíssima , e eu ficaria com muita vergonha , e o medico me disse que não tinha a ver porque os médicos são profissionais .
E então eu marquei a consulta com a minha dermatologista , mais eu fiquei com muita vergonha , não por causa da  minha rola porque tem 19 cm e grossa , e uma rola muito bonita.
No dia da consulta , eu entrei na sala dela , e a comprimentei    ela , e ela é muito simpática e  perguntou para mim qual era o meu problema , e então disse para ela que estava muito sem graça , porque eu estava com alergia na minha parte intima , e que já tinha passado com o urologista , e que ele mandou procurar uma dermatologista uma especialista na área.
A medica é uma morena que tem na faixa 38 anos é uma gata bem conservada e que tem um corpo muito sexy e seios grandes bem durinhos uma delicia.
Então a medica me disse deixa eu ver como esta a alergia , e ela colocou uma luva pediu para mim abaixar as calças , e então abaixei primeiro a calça , e quando olhou para a minha cueca viu o volume da minha rola , e  pareceu que ela tomou um susto quando ela viu tamanho da minha rola , e com o olhar dela acabei ficando excitado.
E abaixei a minha cueca e minha rola meia dura , e ela ficou olhando pra minha rola , eu percebir que ela fechou um pouco olho como se estivesse com excitada , e quando ela foi olhar para ver a alergia a minha rola é grande quase encostava no rosto dela , a minha vontade era pegar enfiar a rola na boca dela.
E a medica olhou me disse que eu precisava fazer um teste de alergia , para mim fazer o exame e depois voltar no consultório dela.
E eu tenho quase certeza que ela ficou louca de tesão por a minha rola , e eu acho que vou comer ela
, eu senti que rolou uma química entre a gente.
Foi uma delicia quando eu cheguei em casa eu bati umas 4 punhetas pensando nela , não vejo a hora de chegar a próxima consulta que sabe eu como aquela buceta deliciosa.
Se rolar alguma coisa na próxima consulta eu vou contar no conto.
Até o próximo acontecimento.
Um abraço.

sexta-feira, 5 de julho de 2013

O dia que fiquei toda molhadinha no ônibus

Olá pessoal , eu sou a Natalia , tenho 25 anos ,separada e procura de um novo amor.
Sou loira , 180 alt , 67 kg , seios médios bem durinhos e tenho uma bunda bem gostosinha.,
Vou contar o que aconteceu comigo em um ônibus quando eu estava indo para o trabalho . Eu geralmente vou trabalhar de carro , mais nesse dia o meu carro estava no rodizio , e então eu tinha entrar cedo no trabalho , e eu moro no campo limpo e trabalho perto do metro santa cruz..
Sair de casa para trabalhar 5:30 da manhã e foi para o terminal santo amaro pegar o ônibus metrô santa cruz , e tinha muita gente na fila , e então eu esperei o ônibus para ir sentada.
Quando entrei no ônibus sentei no fundo no lado da janela , e começou a encher , e sentou um homem do lado na faixa 34 anos bem vestido.
Até ai tudo bem , e eu estava vestida com uma calça jeans bem apertada que dava para ver até as marcas da minha calcinha e com uma blusa de frio.
O homem sentado do meu lado cruzou os braços como se estivesse com frio , e até ai normal , mais comecei  a senti a mão dele encostando bem levemente na pernas , e eu deixei porque achei que não tinha maldade , mais eu estava totalmente enganada.
E cada mais a mão encostava nas minhas pernas  , e comecei a perceber que estava fazendo uma caricia bem devagar ,  e eu achei o homem muito cara de pau , mais eu comecei a ficar gostar porque estava me dando muito tesão , e eu já estava começando a ficar molhadinha.
O homem era esperto cruzou os braços e colocou a bolsa dele em cima dos braços , e quem estava em pé no ônibus não dava para perceber que a mão dele estava nas pernas quase na minha bucetinha.
E eu fiquei a ficar excitada e comecei a fingir que estava dormindo , e deixei ele abusar da minha bucetinha , e quando a mão dele estava acariciando a minha bucetinha , e ele foi mais atrevido tentou a abrir o zíper da minha calça para enfiar o dedo na minha buceta , e eu estava tão excitada que já não estava nem mais lingando e deixei ele fazer o que quiser com a minha bucetinha.
E ele abriu conseguiu abrir o zíper e enfiou o dedo na minha buceta , e eu senti aquele dedo grosso me acariciando minha bucetinha , e quando eu estava quase gozando o ônibus já esta bem perto do final e não deu tempo , e então eu fingir que acordei e ele tirou a mão da minha bucetinha , mais eu já estava molhadinha.
Então logo que desci do ônibus fui no banheiro no metrô santa cruz mesmo me limpar , e aproveitei enfiei o meu dedinho na buceta para terminar o que estranho começou , e gozei muito gostoso.
Nunca iria imaginar que um estranho ia me deixar louca de tesão assim como ele deixou , porque eu não gozo fácil , o cara para fazer gozar tem que ser muito bom.
Adorei essa experiência e preciso andar mais de ônibus.
Gostou deixe o seu recado quem sabe eu não pego mesmo õnibus que você.
Até o próximo acontecimento .... beijosssssssssss

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Minha primeira experiencia bi com um casal

Olá a todos sou o Sandro tenho 39 anos , sou casado 10 anos.
Eu tenho uma amante casada , e já tem uns 3 anos que eu como a bucetinha dela.
Ela se chama Ana é casada , e tem 33anos , branca , alt 175, 65 kg , lindos seios e bunda empinada que é muito gostosinha.
A gente sempre se encontra em motel , e cada um ia com o seu carro para evitar qualquer contra tempo , mais um dia ela me ligou no sábado me chamando para ir almoçar no apartamento dela , e  eu disse para ela que não ia porque era muito perigoso , e ele podia chegar a qualquer momento.
Então ela falou que ele viajou para o interior de são paulo , e voltaria no domingo , e que a gente teria o sábado inteiro para nos dois meter a vontade.
Estava com medo , mais foi muito tentador  , e acabei indo para o apartamento dela , e almoçamos e depois ficamos na sala trocando caricias , e então fomos para o quarto dela .
Quando eu estava chupando a bucetinha dela na cama do marido dela  , tomei um susto o marido dela apareceu e estava bem na porta olhando , e eu fiquei sem reação assustado , e pensei agora fodeu.
E ele ficou olhando e não falava nada , e eu  levantei para ir embora  , e ele falou fica sentado na cama , e começou a tirar a sua roupa , e falou quero participar também.
Então ele se juntou a nos na cama , e de um lado , eu do outro lado fazendo um sanduiche na mulher dele . Quando eu estava chupando o seus seios dela com a mão na sua bucetinha , e eu senti uma mão na minha bunda que era a mão dele na minha bunda , e ele olhou para mim falou nos somos liberais e tem que valer tudo , e como estava comendo a mulher dele e não falei nada ,e deixei ele passar mão na bunda.
Então ele largou ela e mudou de lado fico atrás de mim me enconchando  , e ele me abraçou por trás beijou o meu pescoço , e ficou me enconchando com rola enorme e grossa na minha bunda.
Eu não tinha opção , quando coloquei a mulher dele de quatro comer a sua bucetinha , e ele veio na sequencia , e enfiou a sua rola até as bolas no meu cuzinho com força , e eu peguei enfiei a minha rola cuzinho da mulher dele até ela chorar de dor , e gozamos  juntos na boca dela.
Sair do apartamento dela com cuzinho arrombado  e ardendo , mais também deixei ela e ele do mesmo jeito .
Depois ela me disse que foi tudo armação que eles sempre iam em casa de swings , e que ela me envolveu nessa transa a pedido dele que tinha uma fantasia de transar com outro homem com ela junto.
Eu sou hétero  e foi uma experiência  nova para mim , de um certo modo até gostei , e gostaria de repetir.
Deixe o seu recado com e-mail que eu entro em contato.
Até o próximo acontecimento.
Um abraço.




quarta-feira, 3 de julho de 2013

O meu funcionário que ficou de olho na minha bucetinha

Oi gente tudo bem!
O meu Gabriela sou casada a 8 anos , e tenho 32 anos.
Bom vou contar como tudo aconteceu , eu tenho uma loja de molduras na paulista , e a pouco contratei um funcionário para trabalhar na loja.
E eu gosto der ir trabalhar bem produzida , e sempre vou de saia porque , eu gosto que os homens ficam de olho na pernas e na minha bunda  ,  e deixando eles louco tesão.
Neste dia eu fui trabalhar de saia e um decote mostrando um pouco dos seios , e eu então chamei o funcionário novo no meu escritório para falar sobre os documentos para registrar ele , e quando ele entrou no escritório mandei se sentar para conversamos.
Então sentou e comecei a reparar que ele não tirava o olho das minha pernas , e nem disfarçava , e como eu sou um pouco pervertida , e abrir um pouco as minhas pernas para ele ver a minha calcinha , nossa eu fiquei impressionada que ele nem piscava , e eu fiquei até sem graça , mais fiquei com muito com muito tesão.
Eu peguei os documentos dele e falei para ele que podia voltar ao trabalho , mais quando ele levantou estava de pau duro , e pelo o volume da calça a rola parecia muito grande .
E quando ele saiu eu passei a mão na minha calcinha estava molhadinha de tanto tesão ,  e envie o dedo na minha bucetinha pensando na rola  dele me comendo até eu gozar para não fazer nenhuma besteira .
Mais não adiantou muito porque o cara muito safado , eu fui no estoque de molduras para ver se tinha um perfil de molduras que estava precisando , e o estoque fica no fundo da loja , e eu estava sozinha , e derrepente ele entra falando que ia me ajudar a procurar o perfil da moldura.
Vocês não vão acreditar o cara é muito safado e o que fez , e ele veio por trás me encoxou metendo a mão na buceta e falou no ouvido que estava louco de tesão , tirou a rola e levantou a minha saia passou a rola na minha bunda , e eu fique muito exitada e deixei ele abusar de mim.
Foi muito rápido , e ele enfiou a rola enorme na minha bucetinha com toda força nossa que delicia , e me deixou arrombadinha  , e logo depois fui para casa porque fiquei toda assada.
Foi uma das rolas mais gostosa que já fudeu a minha buceta.
Mais no dia seguinte mandei ele embora , apesar de ter sido uma delicia foi muito atrevimento  da parte dele , e poderia me trazer muitos problemas.
A minha loja fica perto do shopping paulista vão me visita. ,
Deixe o seu comentário que respondo.
beijossssssssssssssssss

Mulher de amigo meu

Não sei como pode mas gosto demais de uma sacanagem. Quer me ver feliz é ter por perto a mulher de algum amigo meu, já me bate uma coceira. no cacete..
A algum tempo atrás um camarada pediu para que eu fizesse um frete pra ele. A mulher dele dirige, mas como era durante a noite e ele não podia ir pois trabalhava pela manhã, pediu-me este favor. Meio a contra-gosto resolvi dar uma força.
Saímos eu e ela eram mais ou menos umas 22.00h e fomos pegar a encomenda em uma cidade distante 110 km, mais ou menos 1.20h de carro. E a mulher deste meu amigo já tem la os seus 40 anos, mas ainda é muito bem conservada, talvez por que lê não a use muito, umas coxas grossas e uma bunda linda, em uma calça destas justas, fica muito gostosa ,olhos verdes e dentes perfeitos, de origem alemã.
Na viagem de ida tudo transcorreu normalmente, pouca conversa, algumas investigações sobre se minha mulher iria ficar zangada por eu te-la acompanhado, mas eu disse que não pois em mim ela poderia confiar, não havia dado motivos para desconfiança,etc..,etc..
Chegamos ao local, pegamos a encomenda e começamos a viagem de volta, andamos uns 5 km e ela começou a ir mais fundo na conversa, e eu perguntei se o marido dela não se importava com o fato dela sair a noite com um homem, daí que ela abriu o coração dizendo que ele levava até 3 meses para comparecer e que ela estava sempre louca de tesão e pra ele era até bom ela sair de vez em quando…isto me animou, já estava praticamente de pau duro toda a viagem, agora a coisa tinha esquentado. Dei um jeito de dar uma mexida no cacete de forma que ela percebesse, ao que me perguntou o que estava acontecendo, disse que estava meio desconfortável no assento, mas ela não dando muita bola para minha explicação espichou o braço e foi pegando meu pau por cima da calça e dizendo: O safado ta de pau duro!!!
Perguntei se isto a incomodava e me disse que sim, se continuasse dentro da calça. Já era madrugada e eu estava na direcção, Não liguei deixei que ela abrisse meu zíper e com todo o carinho daquelas mãos macias tirasse pra fora das calças o que já estava doendo de tanto tesão, acariciou meus pau como se fosse um brinquedinho e foi abaixando até alcança-lo com a boca, iniciando uma chupação tão gostosa que durou quase toda a viagem.. ah como gostava de um pau entre os lábios. Com uma mão na direcção e a outra tentando bolina-la assim eu ia. Ela se ajeitou de forma que eu consegui alcançar sua xoxota e enquanto ela passava aquela língua maravilhosa no meu pau fazendo com que eu quase me desviasse do caminho, lambuzando meu pau de saliva, passando a língua em volta da cabeça com maestria.
Com uma mão ela me masturbava e com a boca fazia eu ver coisas na estrada enquanto isto eu fazia ela gozar na minha mão e assim quando chegamos próximo a nossa cidade, encostei junto a uma pequena entrada de roça e coloquei sobre meu colo, já lambuzada de tanto ser bulinada meti gostoso naquele rabo, gozando ardorosamente….E como gostava de gritar, quase tive medo que acordasse algum colono e levássemos um tiro, foi realmente demais…A minha sorte que quando cheguei em cãs minha mulher estava no terceiro sono…
aquela boca carnuda em minha boca deixou marcas que até hoje ainda lembro…
Quanto ao marido ainda me mandou em muitas outras viagens…

Fodendo no capô do Carro, contos reais da Coelhinha.

Quando eu tinha uns 15 aninhos, lembro-me de uma altura andar a sair com um rapaz mais velho do que eu uns 7 ou 8 anos, o Sr. R.
Naquela altura era sempre bom andar com alguém que tivesse carro. A Coelhinha gostava de ir a festas e se tivesse boleia era optimo! O Sr. R. não era um rapaz bonito, mas tinha uma maneira de ser muito extrovertida e conhecia muita gente, tinha muitos amigos e colegas que facilitavam entradas em muitos sitios, que tinham casa em vários locais, assim era fácil andar sempre a passear sem gastar muito e em segurança. ;)
Lembro-me de uma noite, ficarmos de sair por volta das 22h e ir a uma festinha a uma meia hora de carro, mas ele não pode ir me buscar e acabei por ir com outros amigos…
A festa estava bastante animada, mas eu não estava muito ali, ficava aborrecida facilmente e fartava-me dos sitios… Queria mais era ir embora curtir para outro lado… Enquanto eu esperava que o Sr. R. fosse ter comigo na festa, ía bebendo umas cervejas, e já estava a ficar alegrinha.
Eu andava há umas 2 semanas com o Sr. R. e ainda não o havia comido. Acho que ele achava que eu era do estilo mais santinha, e anda não me tinha pressionado. Lembro-me de nessa noite começar a ficar com uma vontade enorme de foder, daquelas fodas selvagens que surgem de lado nenhum mostrando o lado animal que todos temos.
Era quase meia noite e o Sr. R. não tinha meio de aparecer, entretanto apareceu o Alex, um rapazinho que estudava na escola profissional, todo bonitinho, que tinha uma queda por mim. Lembro de uma altura, durante um caraoke num bar, ele ter-me feito passar a maior vergonha dedicando-me uma musica romantica… fiquei sem falar com ele durante meses… detestava manifestações em publico dessa natureza! Mais tarde, foi muito bem compensado, por tanto tempo sem falar com ele…
Bom, mas essa história fica para uma próxima…
Quando o Alex apareceu na festa eu comecei a divertir-me com ele, dançavamos e roçavamos muito, eu sabia que ele era louco por mim, e que queria me comer a todo o custo, estava já a fcar bem quentinha, tanto da bebida como do roça roça gostoso em que andavamos ali. O Alex, por mais de uma vez apalpou as minhas coxas e numa musica enquanto dançavamos apertadinhos, conseguia sentir o volume do seu caralho nas calças. Aquilo já durava há algum tempo, e ele parecia explodir, se pudesse tinha-me comido ali no meio da festa em frente a todo o mundo e aposto que se vinha num tirinho. hahahaha
Quando ele meteu a mão descontraidamente na minha blusa decotada e agarrou o bico da minha maminha….. aiiii lembro-me que fiquei completamente molhadinha, cheia de tesão, de vontade de ter um caralho dentro de mim, daqueles bem grossos, para sentir ele entrando e saindo, roçando as paredes da minha xaninha. Estava louca, e já determinada a deixar a festa para dar uma fodinha seelvagem na proxima esquina escura que encontrasse. Enquanto falava com o Alex para sairmos dali, e ir dar uma voltinha, ele percebeu de imediato o que eu queria, ficou com os olhos brilhando de desejo, vi claramente a enorme vontade de me foder todinha, entao chegou mais pertinho de mim e disse-me ao ouvido:
- Já estás molhadinha não estás? Vou te comer todinha minha boneca…
Fui então avisar os meus amigos, com quem tinha ido para a festa, que ía sair e que depois regressava com o Alex para casa. De repente vi que o Sr. R. já estava na festa, ali a poucos metros de cerveja na mão a olhar para mim e a abanar a cabeça em sinal de reprovação.

Devo ter ficado corada, pois senti o calor na minha cara, e senti que tinha sido apanhada, apesar de ainda não ter feito nada…
O Sr. R. veio ter comigo e penguntou-me:
- Então? A minha namorada vai sair com outro???
Ai começamos a discutir, falei para ele que a culpa era dele, que não me tinha ido buscar a casa e que só tinha aparecido na festa quase à 1h da manha!!! Era preciso ter descaramento para vir cobrar de mim!!!
No meio das acusações, eu que detesto dar escandalo resolvi sair dali e ele claro foi comigo. Já na rua, o Alex passou por nós no seu carro, olhou e vi a cara de raiva dele por o Sr. R. ter cortado a fodinha que ele esperava à tanto tempo.
O Sr. R tinha comprado recentemente um carro novo. Os estofos em cabedal com aquele cheiro caracteristico davam-me a volta aoo estomago, não sei bem porque. Acontecia que andava quase sempre de janela aberta para o cheiro não ser tão intenso.
Nessa noite, de regresso a casa e chateados um com o outro, íamos em silencio quando de repente o Sr. R parou o carro num espaço de terra batida perto da estada. Eu perguntei-lhe:
- O que estamos aqui a fazer?
Ele não me respondeu, saiu do carro, deu a volta, abriu a minha porta e puxou-me para fora. Empurrou-me e doobrou-me sobre o capô e nesse momento eu soube que ía ser comida mesmo ali. Puxou-me a blusa para cima e tirou-me o soutien, agarrou as minhas mamas com as mãos e começou a esfregar o volume do seu membro em mim. Virou-me para ele e sugou os biquinhos das minhas mamas… Áquela hora, e apesar de ser Verão, já estava frio na rua e eu senti arrepios…. Perguntei-lhe?
- Não me queres aquecer antes dentro do carro?

Mas ele riu-se com uma cara bem safada e respondeu:
- Não te queixas sempre do cheiro a cabedal? Então mais vale foder essa coninha no capô em vez de ser no acento…
Empurrou-me de novo para o capô baixou as minhas calças e pôs-me a mão na xaninha, meteu um dedinho lá dentro e disse:
- Uiiii mas tu já estás molhadinha!!!!
De repente soltou o seu caralho e enterrou todo de uma só vez na minha coninha molhada.
No inicio eu estava com muita vontade mas depois ele começou a foder-me de um geito…. hummm, dava palmadas no meu rabo e fodia-me num ritmo maravilhoso, chamava-me de puta traidora, puxava-me para ele, egarrava os bicos das minhas mamas e no momento seguinte soltava-me no capô do carro, as minhas mamas colavas no metal frio e eu ficava cada vez mais excitada. Vi que ele estava louco de desejo, fodia-me cada vez com mais intensidade até que me disse:
- Sua vagabunda, se não fosse eu vir para te comer esta buceta tu já estavas molhadinha e prontinha e levar com outro caralho não era???
Não agentou mais, saiu de dentro de mim e espalhou o leitinho pelo capô mesmo. Eu não me vim… ele ficou ali a recuperar as forças encostado ao carro… subiu as calças e foi lá dentro, acendeu um cigarro, voltou a vir ter comigo e disse:
- Precisas de mais não é??? Queres que te volte a comer a buceta não queres?
Eu estava despida da cintura para cima, ele estava ainda sem camisa quando vimos as luzes de um carro na estrada virar na nossa direcção, enfiei a minha blusa mesmo sem sutien e entramos dentro do carro.

Acho que eram mesmo só curiosos que queriam apanhar uma foda em pleno acontecimento, mas não tiveram essa sorte…
Pouco depois, em cima do mesmo capô fui comida de novo e explodi de prazer enquanto o Sr. R me lambia a xaninha toda…. (Nunca soube quem limpou o capô do carro cheio de porra, mas desconfio que não foi ele…)

Professor comeu meu cuzinho

Bom é o meu primeiro conto aqui e é de um professor meu da faculdade.



Eu ja era bem bonita com seios medios e uma bunda grande mas me destacava mesmo era pelo meu rosto era muito bonita olhos azuis e cabelo castanho claro.



Quando entrei na facul um professor novo marcos, ele era até que bonitinho e era bem legal ele sempra falava pra mim que quando eu acabasse a facul ele ia casar comigoo e tal mas na brincadeira é claro.



As vezes eu pegava ele olhando pra minha bunda e via que ele tinha desejo por mim.



Bom sendo assim como na facul não exigia uniforme eu começei a ir mais provocante na aula dele com uma sainha ou um short bem apertado e com uma blusa que valorizava meus peitos.



Eu estudava a noite e a aula dele era a ultima acabava sa 23:30 .



Um dia eu estava mais bonita que nunca pois eu ia pra balada depois da aula e a roupa era provocante. Vi que a hora que ele entrou na sala logo olhou pra mim e mordeu o labio.



A aula toda ficamos trocando olhares, quando a aula acabou eu fui ao banheiro para me arrumar e minahs amigas foram indo para a balada.



Quando eu estava me arrumando ele chega com uma cara de safado, e vem pra cima de mim ja pega no meu peito e encosta seu pau mais que duro na minha buceta que ficou toda molhada nessa hora pois ele ficou se esfregando em mim.



Depois ele me virou de frente e disse



- Garota eu sei que vc vem com essa roupas pra me provocar mas hje tá demais num vo aguenta menina.



e eu como se fosse inocente falei



- Magina fessor é só o tipo de roupa que eu uso não é pra te provocar



disse isso com uam carinha de inocente



mas ele disse



- a garotaa vse não me escapa hje eu vo te come. não dá mais .



como eu não precisava ir ceod pra casa akel dia eu disse



- áa fesorsinho vse quer me comer aki no banheiro vamos pra um lugar melhor ?!



ele falou pra gente ir pro carro dele então que ele ia me levar pra casa dele.



e eu respondi tá mas que eu tinha que voltar pra casa antes das 5.



E elee todo safado disse :



- humm dá pra gente fuder bastante em 5 horas vem vamos nã oquero perder tempo vse ja me provocou demais.



Segui ele até o caroo e fomos pra casa dele no carro ele conversou comigo que ja não aguentava mais de tanta tesão pela minah buceta. e que ele queria sentir lá dentro.



eu ja não era mais virgem mas meru rabinho era e eu dise isso a ele



Ele falou pra mim não me preocupar que ele ia com carinho.



Bom então eu sedi e falei que tudo bem mas só se ele dechasse eu fazer uma coisa com ele e ele deixou.



Depois no carro não conversamos mais só fomos trocando carinhos ele passava a mão pelo meu corpo e eu só gemia .







Quando chegamos ele me levou pro quarto falou pra mim ir tirando a roupra que ele ia pegar uma coisa.



Tirei minha roupa bem devagar ficando só de calcinah que era um fiu dental e deitei na cama.



Quando ele volto u vei com um vidrinho na mão e eu pegutnei iqee era isso ele disse que era pra quando ele enfiasse no meu cuzinho pra não doer tanto.



Ele tirou a roupa e deitou na cama só de boxer



Eu subi em cima dele nisso tirado a boxer dele.



Na hora que vi akele pau delirei era o maioor cacete que eu ja tinha visto começei a bater uma punheta, minha calcinha ja estava mais que molhada e ele tinha tirado ela.



Comecei a sentar no pau dele mas sem enfiar só colocando na entrada passando mas nunca colocadno ele disse que queria assumir o controle então eu deitei de perna aberta pra ele.



Ele foi chupando meus seios e descendo quendo chegou na minha vagina molhada e começou a lambe-la eu rebolava na sua boca descontroladamente quendo ele começou a enfiar a lingua ai eu gritei pqe era muito prazerozo quendo ele subiu ate minah boca e me beijou.



Ai foi a vez dele de me torturar ele só passava o pau na minha entrada mas não colocava e uam hora eu gemi e acho que el não aguentou enfiou com tudo e começou a bombar lentamente mas fundo, quando disse pra ele acelerar o ritimo ele acelerou bombava e estocava forte e fundo quando eu gemia demais e cheguei ao orgasmo ele falou que ia gozar e tirou o pau e falou que queria que eu chupasse e engolisse todo sue leitinho eu o fiz colokei akele enorme pau na boca e comçeia chupar eu chupava rapido e de vez em quando tirava da boca e passada a lingua na ponta coloquei na boca de novo e le gozou eu senti todo akele leitinho quente na minah boca e engoli tudo ai que delicia muito bom.



Depois disso descansamos um poko ele disse que agora queria meu rabinho virgem e temi mas aceitei ele me colocou de 4 e colocou algo gelado no meu rabinho eu pergutnei oqe era e ele disse que era pra mim naõ sentir tanta dor e prazer tambem.



Quando ele passou o pau pela minha vagina e colocou na porta do meu rabinho eu temi por que sabia que ia doer ele pergutnou se eu tava pronta eeu disse que sim e ele enfoi rapido abrindo meu rabo eu gritei de dor o som ecoou pela casa vazia e ele começou a estocar e a dor foi dando ligara ao prazer logo eu não sentia mais dor só prazer e susurei pra ele isso é bom mas eu queria voce aki na frente tembem pois eu estava muito exicata e minha vagina estava vazia sem ele lá.



Ele começou a estimular meu clitolis e ele gozou no meu rabinho e eu na mão dele.



Ele tirou o cacete e passou uma toalha ele disse pra mim não ficar assustada porque na primeira vez sangra mesmo então relachei e deitamos na cama quando era 4:30 lembrei que tinah que ir pra casa e ele me levou



Depois dessa noite repetimos de novo mas isso eu conto depois

Comi pela 1º vez o cú apertado da ninfeta

olá meu nome é Alexandro , esse é o meu primeiro conto erótico, e vou conta pra vocês, pois foi tudo real. eu tenho 32 anos, sou moreno estatura média e magro, casado. Em 2010 fui transferido para trabalhar em uma cidade chamada Ribeira do Amparo na Bahia, e depois de um ano quando já tinha pegado amizade com todos da pequena cidade, conhecir uma garota por nome macela (fictício), ela tinha cerca de 1,60 m de altura, corpo bem definido, seios médios, bunda empinada e gostava de vestir shortinho, logo que pus os olhas nela fiquei com muito tesão pela aquela bunda gostosa, muitas as vezes transava com minha esposa pensando naquele bunda gostoso, certa vez foi comprar pão e começamos a conversar, e conversa vai conversa vem, fale para ela sobre sua beleza e força de vontade e logo vi seus olhos lagrimejarem, e perguntai o que foi, se eu tinha falado algo que a machucou, e ela disse que não, e me revelou que tava passando por problemas com o rapaz que ela convivia, e logo sentei comecei a dar conselhos para ela, para ela não baixar a cabeça, e que se desse valor e etc. Ela gostou muito e perguntou se poderia conversar comigo num outro momento, eu disse que sim e ela marcou para ir lá em casa ao anoitecer para desabafar, nesta época minha esposa tava viajando para são Paulo para ver as filhas e passa o ano novo lá. Então as 7hr de noite ela chegou, vinha do trabalho, abrir aporta e ela entrou e sentou no sofá e começamos a conversar e ela contou que estava cansada do marido que só pensava em bebe e chegava bêbado, maltratava e humilhava ela e começou a chorar e peguei na mão dela e pedir pera se acalmar e levantar a cabeça e ser forte, por que teria de tomar uma decisão de reconstruir sua vida, pois ela não merecia passar pelo que estava passando. Até então, não tinha planejado nada, só pensei em ser solidário com a situação dela, foi que ao consolar, ela botou a cabeça no meu ombro e eu comecei a acariciar sua cabeça e a carne dela tremia e sentir sua carência, foi ai que me veio na cabeça de aproveitar avance mas não força-la a nada, e não fiz muito esforço, ela botou a cabeça no meu colo e eu alisei o seu rosto e logo fiquei de pau duro, virei o seu rosto e disse que ela era muito linda, logo já estávamos nos beijado euforicamente uns 10 minutos e comecei a cariciar a sua nunca e foi ai que ela se entregou de vez, minha mão percorreu todo o seu corpo e logo enfiei a mão dentro do sue short e tava toda molhadinha de tesão. Foi ai que levantei do sofá coloque-a deitada e tirei aquele shortinho safado e ela tremia, e ao ver aquele corpinho tesudo que paisagem, cair de boca na boceta dela e ela deu um horror profundo e eu a chupava com vigor, sem perder tempo tirei a calça e fiquei de pé enfrente dela, quando ela viu o meu pau ficou maravilhada, pois apesar de não ser muito alto tenho um caralho de uns 19 cm e ela caiu de boca e começou a fazer masturbação com boca num vai e vem frenético logo fiz um 69 de pé com ela, segurai pela cintura ali de pé e bombei na boca dela e metia a língua na boceta deliciosa. Em seguida sentei e coloquei ela sentada com o pau e ela gemeu e gemeu e fiquei de pé de novo com ela no colo e o cacete penetrado em sua boceta sedenta e balançava ela pra cima e enfiava foi fantástico. Sem que eu esperasse ela disse: quero te dar meu cu virgem. Eu adorei a proposta. Então disse a ela que seria uma honra e seria muito gentil com ela, fui ate a cozinha pegue um óleo de oliva que minha esposa usa na salada e lambuzei meu pau todo e a seu cuzinho apertadinho, coloque ela de pernas aberta coloque bem devagar a cabeça da taca, tirei e coloquei de novo ate dar uma certa elasticidade e ai soque e ela gritou de prazer dizendo que pau gostoso, mete no meu rabo seu picudo, mete e eu obedecir sua ordem e soquei pra vale, chega o óleo escorria com um caldo amarronzado e metir e disse ta gostando sua cachorra, em seguida sentei no sofá, ela veio de costa e eu coloque o pau no seu cu que já estava todo melado levantei suas pernas para cima segurando uma mão em cada perna até suas pernas ficarem encostadas em sua barriga e bombei bastante naquele cu que era virgem e tirai todo o seu cabaço anal e ela chiava: ai seu gostosa tarado você me arrombou, em seguida peguei na cozinha uma lata de leite condensado e despejei no pau e ela de joelho abocanhou o cacete e eu disse chapa sua safada gulosa e ela chupeu ate o saco, quando ela chupou a cabeça do cacete sentir que não ia aguentar mas e bombei forte na boca dela e quando não aguentei joguei a porra toda no seu rosto melando também o seus seios, foi a foda mais incrível que tive ela tomou um banho e agradeceu pelo conselho e disse que ia tomar as providencias para ser feliz, me encontrei com ela em outro lugar, mais isso contarei depois, aguardem.

Em uma tarde de estudos

Olá a todos, vamos a mais uma de minhas histórias.
O que vou relatar agora aconteceu quando eu estava no terceiro ano do ensino médio, lembro que foi bem no fim do ano, estava em uma das mesas do pátio estudando com um amigo meu chamado Fábio para o vestibular, quando uma amiga do segundo ano me pediu ajuda para estudar, seu nome era Jéssica, carinhosamente chamada de Jessy, lembro que estava ruiva na época, mas na verdade a cor original dos seus cabelos era loiro e iam até a altura dos ombros, 1.65 mais ou menos e bem gostosinha, peitos grandinhos e uma cinturinha larga.
-Então, bem que você poderia me ajudar com a matemática né? Claro se isso não for te atrapalhar.
-Claro, o que você não me pede rindo que eu não faço chorando.
-Que fofo, te espero em casa às 15h no sábado, tudo bom? É a hora que eu chego do inglês tudo bem?
-Tá ótimo.
-Pô Fábio, você pode ir também, soube que você é muito bom em matemática.
-Muito obrigado por chamar de nerd, mas vou sim.
Era normal essa integração de todas as turmas de todos os anos na minha antiga escola, a diretoria incentivava muito isso, e eu adorava, sempre era bom conhecer as ninfetas dos anos que antecipavam o meu, enfim o sábado a tarde chegou.
O Fábio passou em casa umas 3 da tarde e fomos juntos até a casa da Jessy.
-Vamos lá ajudar a mulinha.
-Deixa de ser FDP meu.
O Fábio era meio sacana na hora de tratar gente que ele julgava menos inteligente, chegamos na casa da Jessy umas 15h20min, e ela não demorou muito para nos recepcionar com dois beijinhos no rosto de cada.
-Que bom que você vieram, atrasados, mas vieram.
A mãe dela veio logo atrás e nos cumprimentou também,
-Estou de saída agora, Jessy tem bolo no fogão e refrigerante na geladeira pro caso de sentirem fome.
Eu já conhecia a mãe dela, não era a primeira vez que eu ia lá, a Jessy sempre pedia ajuda em alguma coisa e a mãe dela já estava acostumada comigo e não ia ser a primeira vez que eu ia ficar lá sem ela estar em casa.
A Jessy saiu correndo nas escadas em direção ao seu quarto, estava com uma camisetinha cinza e um short jeans, e nós dois fomos logo atrás.
Chegando no quarto dela vimos outra pessoa sentada na cama.
-Oie meninos, tudo bem?
Era a Bruna, amiga de classe da Jessy, já a conhecia também, era uma graça, morena de pele clara barriguinha retinha, seios médios um pouco menores que os da Jessy e bem redondinhos, estava com uma camisetinha verde e com um desses shorts de ginástica.
-Espero que não tenha problema, ela também está no fio da navalha em matemática, por isso a convidei também.
-Sem problema, quanto mais gente melhor.
E assim seguiu à tarde, nós quatro entre equações algébricas, variáveis e papos de adolescentes.
Já havia se passado um tempo desde o começo dos estudos, estávamos comendo bolo e conversando quando a Bruna disse:
-Já não agüento mais, já absorvi bastante coisa mas já não entra mais nada.
E eu:
- Se vocês quiserem a gente para um pouco e começa a se pegar pra relaxar um pouco.
Todos riram e então a Jessy diz:
-A proposta é mesmo tentadora, mas que tal um verdade ou desafio?
O Fábio respondeu:
- Claro vamos mostrar todos os nossos podres.
A Jessy respondeu sorrindo:
Ah claro, mas só pode ficar entre nós senão já viu a pilantragem né? E se for desafio não pode dizer não hein.
Todos concordaram então a Jessy desceu e logo voltou com uma garrafa de água mineral e as coisas naquela tarde estavam começando a ficar mais interessantes.
Todos rodavam a garrafa e faziam perguntas indiscretas um para o outro, mas ninguém ousava pedir desafio no jogo, mas isso foi por pouco tempo até que a Jessy girou a garrafa que parou no Fábio que após escolher verdade teve que encarar uma pergunta bem indiscreta da Jessy:
- Você transaria agora com a Bruna?
Ficamos todos em choque com a pergunta, e pela cara que a Jessy fez deu pra ver que ela perguntou com o intuito de tumultuar mesmo, porém sem o menor constrangimento o Fábio respondeu:
-Claro agora mesmo, só ela querer.
Agora a pobre Bru que ficou constrangida e como o castigo vem a cavalo após rodar a garrafa foi a vez de o Fábio perguntar a Jessy se ela transaria comigo, e ela bem tímida disse:
- Sim
A brincadeira continuou mais calma depois dessas duas rodadas , até que novamente foi a vez do Fábio rodar a garrafa e novamente perguntar para a Jessy com certa malícia no olhar de quem estava prestes a sacanear:
-Verdade ou desafio.
E pela primeira vez na tarde ouvimos:
-DESAFIO.
Fez-se um silêncio no quarto e o Fábio lançou.
-Já que foi dito que tudo morreria aqui e que todos os desafios tem que ser cumpridos, eu te desafio a dar um beijo na cabeça do pau dele, disso isso apontando pra mim.
Todo mundo fez cara de bobo quando ela disse:
-Tá bem.
Estávamos os quatro sentados no chão, ela muito vermelha veio até a minha direção e disse:
-Abre vai.
Nem pensei duas vezes, abri o botão e o zíper da calça e botei meu pau pra fora que já estava naturalmente duro, a Bru ficou vermelha ao ver a cena e o safado do Fábio só olhava pra mim sorrindo.
A Jessy se abaixou, pegou meu pau na base e deu um selinho discreto na cabecinha e voltou pro seu lugar em silêncio dizendo:
- Vamos ter um jogo mais interessante agora? Só desafios, o que acham?
Eu aceitei logo de cara, o Fábio fez que sim com a cabeça e a Bruna que eu achei que ia sair dali correndo também concordou, então a sacanagem estava solta.
A Jessy rodou a garrafa que dessa vez parou em mim, e ela nem demorou pra me desafiar.
Te desafio a dar uma lambida nos peitos da Bruna, se eles não ficarem durinhos vai ter que beijar o Fábio na boca.
Com firmeza no olhar e morrendo de medo eu disse:
-ACEITO!!
Estava sentado do lado da Bruna, olhei na cara dela e vi que estava meio receosa, mas ela mesmo levantou sua camisa deixando seu sutiã a mostra com os peitinhos dentro, segurei o direito e antes de tudo dei umas apertadinhas, coisa que deixou ela ainda mais vermelha, com minha outra mão abaixei o bojo do sutiã e delicadamente fiquei pra cima e pra baixo com a ponta da minha língua no biquinho dela.
-Relaxa linda, não vou te machucar.
- Ainnnnn, ela soltou um gemidinho tímido.
Após já ter deixado o mamilo dela bem babado dei umas chupadinhas de leve e ele ficou bem durinho apontando pra frente.
-Me mostra o outro.
Ela abaixou o bojo do outro sutiã mostrando a tetinha bem durinha com o mamilo ereto.
-Passei no teste?
-Deu sorte rss, respondeu a Jessy.
A Bruna logo se cobriu e agora era a minha vez de rodar a garrafa que caiu no Fábio, e eu não podia ficar sem retribuir o favor ao meu brother.
-Te desafio a dar uma chupadinha na cetinha da Bruna.
Nisso ela reclama:
-Você desafia ele e eu que me ferro?
Todos rimos e a Jessy diz:
-Relaxa amiga o que é deles tá guardado.
O Fábio deitou do lado da Bru e disse:
- É o jogo linda.
Já meio sem vergonha a Bru se sentou na cama e abaixou o short, deixando sua calcinha branca a mostra, o Fábio foi bem lentamente abaixando a calcinha dela mostrando aquela bela cetinha de pêlos ralinhos pra fora e já saiu metendo a língua.
-vai devagg, arrr devagar.
Meu pau começou a latejar e minha mão direita a massagear uma das coxas da Jessy que estava do meu lado observando atentamente a cena.
Dava pra ver o Fábio metendo a língua dentro da cetinha da Bru, depois ele chupava ela fechadinha e cuspia sobre o grelinho dela, ela por sua vez já estava esparramada na cama toda ofegante.
A Jessy começou a bater palmas e disse:
-Chega, Bru gira a garrafa.
O Fábio limpando a boca voltou pro seu lugar e a Bru fez o mesmo após subir as roupas.
-Se fosse você já as deixava abaixadas. Eu disse.
Ela me respondeu mostrando a língua.
Ela rodou a garrafa, que parou na Jessy.
- Te desafio a fazer um boquete pro Fábio.
A Jessy se esticou, ela já estava de frente pro Fábio, ele já pôs a benga pra fora e a Jessy se pôs a chupar com certa voracidade, mexia bem a cabeça pra cima e pra baixo, parava pra respirar e depois mandava bala novamente, sugava só a cabecinha e se despediu dando um beijinho nela, e o Fábio se segurando pra não gozar deitado e com o pau durão.
- Guarda essa coisa feia. Eu disse.
Foi a vez dela rodar a garrafa e mais uma vez o alvo foi a Bruna.
-Eu te desafio a dar vinte quicadas no pau dele, olhando pra mim.
A Bru dessa vez nem reclamou, já estava na onda da brincadeira e foi tirando o short e abaixando a calcinha, eu já estava sentado na cama com a pica pra fora e falando:
-Senta aqui.
Ela veio e agarrei a cintura dela e a encaixei em mim devagar, sentia a cetinha quente dela ir engolindo todo meu pau e fui conduzindo os movimentos devagar.
-1,2,3,4
Eu fazia subir e descer bem devagar e minhas mãos já tinham subido para os seios dela, era começou a gemer mais livremente e a quicar mais rápido.
-UHhhNmm ahhhhhhhhhhhh.
A cetinha dela estava muito gostosa e eu já estava lambendo suas costas enquanto ela estava quicando em mim.
-Ai, já deu era só vinte vezes, não até gozar. E mais uma vez a Jessy cortou o barato.
Nos recompomos e voltamos pro chão e a Bru rodou a garrafa que caiu em mim.
-Te desafio a mamar 5 minutos os peitos da Jessy.
Ela ouvindo isso já dobrou a camiseta até em cima dos seios, tirou seu sutiã preto e cruzou os braços fazendo com que seus seios ficassem juntos e mais convidativos, coloquei as mãos nos seus ombros e abaixei a cabeça pra começar sugando o esquerdo, ela permaneceu na mesma posição e suspirando muito, eu lambia toda a aureola do seio mesclando com chupoezinhos com o mamilo entre meus dentes, fui no direito e comecei a mamar com um bebê e depois a ficar lambendo com a um sorvete.
-Já deu o tempo, disse o Fábio acabando com minha deliciosa brincadeira, voltei pro meu lugar e a Jessy nem se incomodou de por o sutiã novamente, apenas abaixou a camiseta, e foi minha vez de rodar a garrafa e minha vítima era a Bruna.
- Eu te desafio a fazer um 69 aqui no meio com a Jessy.
A Jessy olhou pra mim boquiaberta com aquela cara de “Ahh seu safado ta fodido depois” e eu simplesmente ri.
- A Bru embaixo e a Jessy em cima. Disse o Fábio.
As duas tiraram seus shorts, abaixaram suas calcinhas e ficaram na posição, deu pra ver a cetinha da Jessy , também com pêlinhos ralos e bem rosadinha, ela ficou sobre a Bru que demorou pra ficar a vontade na posição, o Fábio puxou seu celular e começou a gravar a cena.
-Que isso??!Pode parar! Esbravejou a Bruna.
-Relaxa, deixa, ele vai ver só. Disse a Jessy.
A Bru ficou quietinha mas logo a Jessy começou a beijar sua xoxotinha timidamente, a Bru se agarrou nas coxas da Jessy e também começou a passar sua lingüinha na cetinha dela.
A Jessy começou a mandar ver com a língua na Bru que estava curtindo muito a ponto de virar os olhos e nem se focou em chupar a Jessy.
-Vamos Bru, você também, senão não vale.
Após a chamada que eu dei ela começou a beijar os lábios de baixo da Jessy de forma bem tímida, mas a cena era linda e o Fábio estava gravando tudo, A Jessy se focou em Ficar sugando o Grelinho da Bru o que cuminou em um jatinho de mel na cara dela, coisa que fez a gente rir muito.
-kkkkkkkkkkkkkk
A Bru ficou meio constrangida de ter gozado na cara da Jessy que por sua vez lambeu tudo e disse:
-Tá bom né?
As duas ficaram sentadas sem pegar os shorts de volta e a Jessy se preparou.
-Se cair em um deles dois, haha nem digo nada.
E ela rodou a garrafa.
A garrafa ia parando lentamente, e pelo que tudo indicava iria apontar para o Fábio, temendo o que a Jessy teria em mente após eu ter feito chupar a Bru eu peguei a garrafa antes dela parar e disse enquanto me aproximava dela:
-Meninas, acho que essa garrafa se tornou desnecessária, estamos em um clima tão bom aqui, porque simplesmente não curtimos?
-Ah não, nossa vingança, quer parar agora? Disse a Bru
-Quanto ódio no coração, a gente pode curtir bem mais de outra maneira, né Jessy. Fui dizendo isso enquanto passava meu braço por trás da Jessy e agarrava sua cintura.
Ela olhou pra mim com um sorriso e disse:
-Cínico safado, como seria essa maneira?
Segurei seu queixo e a beijei calmamente curtindo bem sua boca macia.
-Desse jeito, não está bom?
- Não eu quero mais. Ela disse enquanto enroscava seus braços ao redor do meu pescoço e entrelaçava sua língua molhada com a minha com mais intensidade, enquanto isso o Fábio já sem camisa se levantou e levou junto consigo a Bruna pra cama.
-Concordo com essa sua nova idéia Mad. Disse ele.
-Os 4 juntos curtindo bastante.
Ficamos os 4 sentados na cama, eu beijando e apalpando a Jessy enquanto o Fábio sugava bem devagar o pescoço da Bruna que estava bastante vermelha e suspirando bastante.
O Fábio tirou devagar a camiseta da Bru e voltou a chupar bem devagar seus seios, já eu ainda estava preso num beijo intenso com a Jéssica e nem pensava em parar, minhas mãos passeavam pelas suas coxas nuas, nossos lábios e línguas molhados melavam nossas faces enquanto a mão dela fazia força pressionando meu pau, ela ficou de joelhos diante de mim, abriu minha calça e disse:
-Agora vou fazer por vontade própria. E após um sorriso maroto começou a passar a língua bem devagar no boquinha do meu pau que já estava babando, ao olhar pro lado e ver a dedicação que meu amigo estava dando o seio esquerdo da Bruna não podia deixar o direito ali abandonado, recostei minha cabeça no seu colo e ela logo tratou de por suas mãos sobre meus cabelos e comecei esticando aquele mamilinho com os dentes.
-Ainn, assim você machuca.
E com minha mão passeando em suas coxas comecei a sugar aquelas tetas macias e durinhas enquanto a Jessy segurava meu pau com firmeza e chupava com força .
-Ahhhhh, delicia, seus safadinhos. A Bruna estava em êxtase, o Fábio segurava a base do seu seio esquerdo enquanto o sugava com força e eu ao mesmo tempo lambia e mordiscava o direito enquanto meu indicador acariciava seu grelinho as vezes raspando sobre seus pelinhos ralos. Nossos corpos já suavam apesar do ar-condicionado, sentia a boca da Jessy mais molhada encharcando meu pau, que agora ia e voltava até o fundo da sua boca, ela mexia com velocidade e as vezes o tirava da boca para tomar fôlego, mas brevemente voltava a fazer seu belo trabalho enrolando meu pau na sua língua quente e massageando bem minhas bolas. Após ver tanta dedicação da parte dela em me dar prazer decidi deixar ambos os seios da Bruna para o Fábio e levantei levando a Jessy comigo para uma poltrona que tinha encostada numa parede atrás da cama, sentei nela e ela muito prestativa voltou a ficar ao meus pés, dessa vez com a camisa dobrada em cima dos seios e agarrando meu pau numa espanhola bem gostosa, Meus outros dois amigos por sua vez aproveitando o espaço que ganharam na cama começaram a se masturbar um ao outro, meu pinto latejante estava preso entre os seios clarinhos e divinos da Jessy que os pressionava com força enquanto fazia movimentos firmes de pra cima/ pra baixo me olhando fixamente nos olhos, sem dúvida ela me dava mais tesão que a Bruna que agora recebi dois dedos do Fábiok entrando e saindo da sua xoxotinha.
Tá gostando gato? Me pergunta a Jessy enquanto mandava ver na espanhola.
Eu delirante mal pude responder que sim, comecei a acariciar os seios dela também o que fez ela virar os olhos e soltar um gemido bem gostoso quando comecei a brincar com seus mamilos
-Ahhhhhnnnnnnwww.
-Vem cá gata, vai meu presente pra você.
A coloquei de joelhos com as pernas afastadas na poltrona, com a bundinha virada pra mim, agora eu me ajoelhei diante daquela cetinha rosada e úmida e comecei a sugar bem devagar.
-Ainnn que delícia Mad.
- Você não viu nada gata.
Enquanto isso ouço atrás de mim uns gemidos nada tímidos da bruna que estava deitada de barriga pra cima e de pernas abertas , enquanto o Fábio diante dela socava sua rola sem dó.
-Tá mandando ver hein cara?
Ele nem respondeu, se focou em penetrar a Bruna enquanto uma de suas mãos ficava massageava os seios dela, voltei a me focar na cetinha da Jessy, cheirosa e molhadinha, ela ficou bem abertinha enquanto eu a sugava, seu mel era delicioso e eu esticava os lábios da sua cetinha com os dentes quando não estava com minha língua passeando por toda a cetinha dela que me presenteava ficando cada vez mais encharcadinha.
-Ohhhnw lambe tudo .
Eu sugava sem parar, ainda considero a bocetinha da Jessy uma das mais gostosas que já chupei até hoje e fiquei muito tempo a saboreando, depois comecei a introduzir dois dedinhos bem devagar enquanto chupava seu grelinho, agora ela mexia bem o corpo e gemia mais alto como se eletricidade a atravessasse, seu grelinho durinho estava adorando ser completamente envolta na minha língua enquanto meus dedos entravam e saiam da sua cetinha girando devagar, mas excitado ainda ficava ao ouvir a Bruna e o Fábio gemendo como se fossem morrer.
Me coloquei atrás da Jessy e tirei a calça de vez, segurei a base do meu pinto e fui encaixando devagar, ela simplesmente fechou os olhos e sorriu enquanto eu sentia meu órgão adentrar no dela, quentinha, nem me preocupei com camisinha naquela hora, até porque também não tinha, elas segurou firme no encosto da poltrona e eu coloquei meu pau por completo dentro da cetinha dela e pude sentir que a preenchia toda.
-Ai que delícia Jessy, não sabia que era tão gostosa
-Sou é? Mete em mim então
Segurei firme na cintura dela e comecei a castigar aquela bucetinha gostosa, ela gemia alto sem pudor nenhum me deixando cada vez mais excitado, estávamos lá quatro jovens em um quarto fudendo intensamente.
Minhas mãos foram passeando pelas costas da Jessy até encontrar sua camiseta e levantá-la ela levantou os braços e por um momento parei meus movimento para ajudá-la a tirar a camiseta. Nossos amigos agora se encontravam em um 69 bem gostoso e eu só escutava o Fábio soltar palavras como: “deliciosa” e tesuda.
Foder com a Jessy estava muito gostoso, minhas mãos passeavam por todo seu corpo enquanto minha rola entrava e saia num frenesi louco, ela gemia cada vez mais alto e sempre pedindo mais
-Fode , fode gostosinho, assim, assim.
-Ahhh tá bom assim deliciosa?
-Tá sim gato.
Estava penetrando nela com todas as minhas forças.
-Deixa eu ficar por cima agora Mad?
-Claro paixão.
Voltei a sentar na poltrona e ela a sentar em mim, agarrei sua bundinha com firmeza pra ajudar nos movimentos gostosos que ela fazia cavalgando no meu pau, seus seios bicudinhos se esfregavam deliciosamente no meu rosto , eu apertava cada vez mais sua bundinha e ela gemia cada vez mais alto com meu membro pulsante entrando com tudo na cetinha dela.
Cruzei com força meus braços na altura da cintura dela, assim ajudando a conduzir os movimentos da cavalgada com mais força, prendi minha boca no seu esquerdo dela, ela pirou de vez e logo senti meu pau se encharcar com aquele líquido divino que a bucetinha dela me deu.
-Gozei amor.
Eu não conseguia parar de fazer os movimentos, e ela ofegante gemia mais alto, também estava prestes a gozar e quando voltei a mim só tive tempo de dizer:
-Tá vindo gata.
A soltei e ela gentilmente se postou a colocar meu pau na boca e tocar uma punheta bem gostosa.
-AHHHHHHHHHHH
Jorrei meu esperma quentinho dentro da boca dela que por um momento parecia ter se engasgado, mas logo se pôs a lamber e a chupar tudo, era muito sexy a ver passando a língua entre os lábios pra tirar todo o gozo que eu jorrei.
-Vem gata.
A coloquei no meu colo e ficamos abraçadinhos e nos acariciando, só vendo o espetáculo na nossa frente, o Fábiok mandado ferro na Bru, só que agora de ladinho na cama.
Eu estava me deleitando com o espetáculo que acontecia diante de mim, a Bruna deitadinha na cama, se agarrando no lençol, enquanto o Fábio praticamente colado de ladinho, com uma das mãos no pescoço dela e a outra em uma das coxas socando com velocidade a rola na nossa amiguinha .
Ele não soltava uma palavra sequer, mas pela cara que fazia era óbvio que estava dominado pelo prazer. A Bru por sua vez fazia um rostinho de dor que logo era substituído por um sorriso maroto de quem estava adorando ter sua cetinha rosada castigada,
O Fábio virou a Bru de frente e se pôs sobre ela e abraçadinhos continuaram a foder, enquanto olhava atentamente a cena eu acariciava o cabelo da Jessy que estava sentada no meu colinho e também assistia sem piscar a cena, eu não conseguia parar de alisar seus seios e sempre beijava de leve um deles e com seios maravilhosos nas mãos e vendo meu amigo fodendo uma moreninha clara bem gostosa diante dos meus olhos meu pau não demorou a ficar animadinho mais uma vez.
-Que tal se a gente se juntar com eles hein Mad?
-Calma gata, essa é deles, ia ser uma puta sacanagem se meter agora.
A Bru estava deitada de barriga pra cima e com as pernas nos ombros do Fábio que agora se encontrava sentado diante dela, segurando-a atrás dos joelhos e socando intensamente.
- Ahhhhnww Vai Fábio, ta me deixando ahhhn louca gato
O Fábio estava vermelho e ofegante, mexendo seu corpo magro freneticamente, quando de repente tirou o pau de dentro da Bru e imediatamente jorrou seu leite sobre o busto e a barriga dela.
- Lambe safada lambe
-Quer obrigar a garota a lamber essa coisa nojenta? É mesmo um animal
-Vai se ferrar Mad, pelo que eu vi você gozou primeiro e a Jessy engoliu tudinho
-Claro, minha porra é boa. Todos rimos, nisso me levantei ainda abraçado com a Jessy e fui em direção a cama já com meu pau cheio de sangue até a cabeça novamente.
Agora senta ali e descansa que eu vou dar pra Bru um pau de verdade, a Jessy se jogou e lado na cama enquanto eu me ajoelhei diante da Bruna que ainda estava deitada de barriga pra cima e comecei a roçar a cabeça do meu pau na boca dela.
-Pega, pega rss.
Ela lambia com a ponta da língua e as vezes beijava, o Fábio sentou no chão, pegou seu celular e continuou a nos filmar enquanto se recuperava, já eu não queria perder tempo, virei a Bru de frente pro meu pau e meti o danado com tudo na boca dela, agarrei a Jessy e voltei a beijar-la e apertar seus seios macios enquanto isso.
Já devia ser meu 3º ou 4º boquete do dia, mas ficava cada vez mais gostoso, a boca da Bru era bem molhada, meu pau deslizava de forma bem gostosa dentro dela, ela deixava ele pra fora e passava a língua em toda a cabeça enquanto ele pulsava, a Jessy enquanto me beijava aproveitou e começou a me punhetar enquanto a Bruna ficava com a ponta da sua língua toda babada fazendo movimentos bem lentos no vãozinho da cabeça já roxa do meu pau.
-Deliciosas
Eu agarrei a Jessy com mais firmeza e lancei minha cabeça nos seus seios, ela me largou e mais uma vez cruzou os braços embaixo deles , ficaram bem estufadinhos e eu mamava cheio de tesão, sugava com força agora, mordia e brincava muito com os mamilos em minha língua, deitei e pedi para que as garotas escolhessem onde queriam ficar
-Uma no pau e uma na boca vai.
-A Jessy já te provou agora é minha vez.
A Bru segurou a base da minha rola e se encaixou rapidamente nela, já a Jessy sentou bem abertinha com sua xotinha na minha cara e eu não me demorei muito para começar a chupá-la.
-Ahhhh uhhhh Mad, cuidado com esse língua.
Segurava firme nas suas coxas enquanto minha língua passeava devagar dentro da sua cetinha que estava ardendo em chamas, já a Bru cavalgava bem devagar se apoiando no meu peito e o Fábio atento gravando tudo.
-Já estou indo participar também.
Girava bem devagar a língua na bocetinha quente da Jessy, o calor, o cheiro e o sabor que vinham dela só deixava meu pau mais duro, pau esse onde a Bruna estava a se deliciar enquanto acariciava os próprios seios.
-Madd, delícia
- Suga maiss.
Obedecia fielmente minhas senhoras, a cetinha da Jessy já me recompensava com um melzinho bem gostoso e a Bru sentava com cada vez mais força no meu pau, foi nessa hora que senti que algo inclinou o corpo da Jessy para trás, era o Fábio que tinha agarrado seus seios e estava por trás a beijando.
-Deixem eu entrar nessa também
-Claro. Respondi, meio puto por ele estragar aquele meu momento
-Vamos pro chão
Deitei no chão e posicionei um travesseiro na parede para que eu pudesse me escorar melhor, o Fábio fez o mesmo na minha frente de forma a ficarmos com os paus um virado pro outro.
-A Jessy vem no meu, exigi com um pouco de sentimento de posse.
Ela sorrindo veio e vagarosamente se encaixou de costas pra mim.
-Agora sou eu, disse a Bruna enquanto se encaixava da mesma forma na rola do Fábio.
Elas começaram a cavalgar devagar, uma de mão dada com a outra, eu alisava as costas da Jessy enquanto ela fazia seus movimentos bem lentos, a Bru mais atirada parou de cavalgar e ficou paradinha alisando o corpo da Jessy enquanto o pau do Fábio pulsava dentro dela.
-Seu corpo branquinho é tão bonito amiga e seus seios são tão perfeitinhos.
-AHHHHHWwwwwhnnnn jura?
As duas ficaram se elogiando enquanto curtiam nossos paus e acariciavam uma a outra.
Não demorou muito pra Bruna abocanhar um dos seios da Jessy que soltou um gemidinho alto de prazer.
-Acho que agora a brincadeira é entre elas em Mad.
-Mano, tá ótimo assim. Estava satisfeito em só ceder meu pau pra Jessy cavalgar enquanto beijava cheia de tesão a Bruna.
A Bruna se inclinou, agarrou meus calcanhares e começou a cavalgar intensamente no pau do Fábio.
-Não esqueci de você Mad lindo.
Disse a Jessy quando começou a rebolar bem devagar me levando a loucura, ainda na mesma posição mas agora em um ritmo mais lento a Bru começou a chupar a cetinha de Jessy e de quebra meu pau que estava junto, era delicioso sentir as texturas de uma boceta gostosa e molhada e uma língua gostosa e molhada .
-Por que não deixamos elas brincarem um pouco sozinhos Fábio?
- Por mim tudo bem.
Largos de nossas musas e ficamos só na punheta enquanto as duas ficaram sentadas diante de nós se beijando.
Suas línguas meladas se entrelaçando só me dava mais tesão por mais cansado que eu estivesse, ambas se acariciavam e se apertavam, As mãos da bruma apertavam a bundinha da Jessy que por sua vez sugava o pescocinho da Bru.
-Você é tão gostosa amiga.
As mãos da Bru agora estavam acariciando a cetinha da Jessy, dedilhando sem parar, ela chupava sua orelha e a Jessy ofegante gemia timidamente, a Jessy deitou a Bru no chão e agarrou cada seio em uma mão e se colocou a chupá-los para delírio da Bru e nosso também, eu estava muito firme na punheta me segurando pra não gozar e o Fábio com uma mão no pau e a outra no celular.
A mão da Bru continuava firme no grelo na Jessy que agora além de estar mamando também estava tocando uma siririca pra Bru, eu não agüentei ficar parado, pulei na direção delas e fiquei de pé com meu pau latejante na frente das duas.
-Se acabem girls.
Elas voltaram a se ajoelhar e a se beijar, só que agora entre a língua de cada uma delas estava a cabeça da minha rola, a Bru começou a fazer movimentos mais violentos na cetinha da Jessy, no que resultou em dois jatinhos de gozo saindo da cetinha da minha amiga, eu ia me oferecer para secá-la mas a Bru logo se jogou naquele mel maravilhoso fazendo a Jessy soltar um gemido bem alto quando a ponta da sua língua encontrou a o grelinho dela.
-AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH.
O Fábio também veio até nós e ofereceu seu pinto ereto, no qual a Bruna nem pensou, abocanhou com tudo, A Jessy após seu orgasmo pegou um pouco de ar e todos voltamos a brincadeira, as duas se chupando e nossos paus no meio.
Começamos a nos punhetar enquanto as duas se beijavam e o resultado foi um belo banho de porra nas duas, Jatos brancos e bem quentes daqueles que vem do fundo do saco mesmo, mas as duas saborearam tudo e ainda sugaram o restinhos dos nossos paus.
Após isso se lavamos e puxamos uns cigarros na varanda da casa da Jessy, arrumamos tudo e já era noite quando a mãe dela voltou, falei para elas darem um jeito de tomar algum anticoncepcional e elas concordaram, nos despedimos com sorrisos safados nos olhares mesmo estando diante da mãe da Jessy

Quando acabou a faculdade

Durante os 4 anos em que fiz faculdade cultivei uma amizade (confesso que inicialmente com segundas intenções) com uma bela garota que se chama Fernanda. Ela tem os cabelos castanhos, lisos, tem aproximadamente 1,65cm e um corpo perfeito.
Barriguinha retinha, bumbunzinho empinadinho e redondinho, um piercing em forma de estrela no umbigo e seios de médios para grandes na medida perfeita, éramos bem próximos um do outro e apesar de minhas investidas nunca tínhamos saído da amizade e com o tempo essa amizade se tornou tão sólida que ela sempre me procurava para falar de seus problemas, até dos mais íntimos, como disse éramos os melhores amigos e nunca tinha rolado nada, até que um dia essa realidade se inverteu.
Era uma noite de dezembro quando fomos comemorar a nossa formatura, todos os alunos da faculdade que se formavam naquele ano estavam no auditório recebendo seus diplomas e curtindo o momento com amigos e família, porém depois de toda essa formalidade já tínhamos organizado nossa festa de despedida dos estudos, todos os alunos se reuniram e alugamos uma mansão para após a cerimônia comemorar de verdade o fim da faculdade.
A mansão era maravilhosa, piscina, gramado, dois andares e lá estávamos nós, eu a Fê, toda nossa classe e todas as outras classes de formandos, ela estava linda, com um belo vestido preto, daqueles que se amarra atrás do pescoço e deixa as costas nuas até um pouco acima da bundinha e com aqueles cortes na perna, extremamente atraente a qualquer mortal do sexo oposto que gostasse da fruta, já eu estava todo social, porém como era minha marca não estava de sapato, mas sim de tênis, nunca curti muito o estilo 100% social.
Todos curtindo muito, o fim de faculdade e já sem os familiares por perto muitos se esbaldavam nas bebidas, em drogas e muita pegação, porém percebi que o astral da Fê não estava tão legal como costumava ser e fui até ela:
- Tudo bem gata?
E forçando um sorriso muito convincente ela responde:
- Sim, vamos curtir a festa.
Cada um pegou uma bebida e fomos dançar no grande salão que havia lá, conversamos normalmente e apesar de tentar parecer normal ela estava diferente, eu gostava de fingir, mas já sabia o motivo, ela havia me contado que se namoro de dois anos estava meio abalado, ela uma vez reclamou comigo que seu namorado tinha trocado de emprego e estava vivendo apenas para o trabalho e mesmo nas horas vagas ele se dizia sem tempo.
- Às vezes fica dias sem responder minhas ligações, já faz dois fins de semana que a gente não sai porque ele diz que precisa trabalhar. Foi o que ela me disse na época.
Enquanto dançávamos, eu indiscreto como sempre fui perguntei:
- Tem a ver com o seu namorado?
Fomos até uma mesa e ela me contou:
- Sabe, já estava complicado por causa do serviço dele, ai ele vem-me dizer que vai ter que mudar pra Campinas, a gente discutiu e cogitamos terminar, mas a bomba veio ontem, ele me ligou de lá dizendo que não poderia estar aqui hoje porque ia participar de um jantar com os amigos da empresa. Porra eu mereço isso? Me diz, custava ter me avisado?
Não tive outra reação além de levantar e abraçá-la.
- Não, você merece bem mais que isso.
A festa rolando, com música alta e sem ninguém sequer pensando em ir embora, tiramos muitas fotos, para ficar de lembrança para quase todos que estavam ali, até que em um momento, já de madrugada eu notei a Fê encostada na varanda sozinha olhando para o nada e fui até ela.
Fiz a velha brincadeira de tampar os olhos e perguntar quem era e ela esboçou um pequeno sorriso, disse que não adiantava ela ficar assim, pra curtir a noite porque outra igual a aquela não teríamos nunca mais.
- Você é um amor cara, foi muito bom ter te conhecido.
E já com as mãos no ombro dela respondi:
- Que isso, só não gosto de ver garotas lindas tristes por alguém que não merece.
- Se não fosse por você hoje estaria me sentindo mais sozinha do que já estou, agradeço por tudo.
- Me diz, por que ficar assim por causa de alguém que não ta te dando à mínima? Deixa ele com o emprego dele é procure alguém que não te deixe em festas de faculdade sozinha rsss.
Ela respondeu rindo:
- E esse alguém seria você?
- Bom comigo você não ta sozinha está?
Falando isso a abraço pela cintura, ela coloca as mãos sobre as minhas e diz:
- Verdade, você nunca me deixa sozinha.
Ouvindo isso botei um pouco mais de pressão no abraço e comecei a morder sua orelhinha e percebendo que ela não teve nenhuma reação negativa, fui descendo pelo seu pescoço e fui beijando suas costas, enquanto minha mão deslizava pela sua coxa.
Ela se virou, segurou meu rosto e me prendeu num beijo, a garota que eu queria muito pegar no início da faculdade agora era toda minha.
O beijo foi longo, ela me soltou e nos olhamos por um momento, ambos com sorrisos na face, agarrei-a pela cintura e tasquei outro beijo, porém esse mais selvagem queria demonstrar minhas intenções para aquela noite e ela respondeu bem, um beijo quente e melado como todo beijo com tesão tem que ser.
Estávamos bem de frente a porta que levava a um dos salões da casa, ela deu dois tapinhas no meu ombro e olhou em direção a um canto mais escuro da sacada onde não ficaríamos expostos aos olhos de alguém que poderia nos reconhecer.
Encostei bem ela no canto e retomamos os beijos, dessa vez acariciando muito um ao outro, devíamos estar parecendo um polvo de tantos movimentos que fazíamos com as mãos no corpo um do outro.
Levantei uma das coxas dela e aproveitando o vão do vestido alisava bem suas coxas roliças e macias enquanto dava alguns chupões no seu pescoço, já sentia seu corpo esquentar, quando ela colocou os braços ao redor do meu pescoço e fazia carinhos no meu cabelo, perguntei:
- Você quer mesmo?
Ela apenas sussurrou um “aham” pouco antes de começar a colocar a língua na minha orelha.
Fui subindo minhas mãos que estavam por baixo do vestido passeando pelas suas coxas até chegar às alças da calcinha, era uma daquelas calcinhas de alças finas e minha mão direita correu até a parte da cetinha, ela deu um gemidinho quando minha mão roçou na sua cetinha que tinha pelinhos ralos de quem tinha depilado há pouco tempo, dedilhei , dedilhei e sentia sua respiração mudar de ritmo, e fui aos poucos adentrando meu dedo do meio na entradinha dela enquanto ela segurou firmemente minha nuca e me prendeu em outro beijo bem gostoso.
- Delícia, ela sussurrou.
Enquanto meu dedo do meio fazia movimentos lentos dentro da cetinha dela, meu polegar roçava no seu grelinho, coisa que fazia o beijo ficar cada vez mais gostoso e a língua dela quase me sufocando.
Ela levantou um pouco minha camisa, abriu meu cinto, o botão da minha calça, puxou o zíper e puxou meu pau já duro para fora, apertava ele da base e ia subindo a mão ao redor fazendo uma pressão e mexendo pros lados quando chegava à cabecinha, repetiu esse movimento até a hora em que coloquei também meu indicador dentro dela, que já me respondia melando com seu melzinho divino meus dedos, ela começou a me punhetar olhando fixamente nos meus olhos, nessa hora parei com todos meus movimentos e só queria saber daquela punheta gostosa, nessa hora um cara que estava na festa saiu para a varanda voltou sua visão para nós, olhamos com aquela cara de quem é pego com a boca na botija e o cara saiu meio sem graça.
- Aqui não vai dar pra continuar, algum conhecido pode ver.
Eu disse sorrindo que não ligava, mas ela largou imediatamente meu pau e tratei de colocar ele pra dentro, disse:
- Motel?
E ela com um sorriso bem safadinho:
- Se quiser continuar, mas vai na frente, liga o carro, vou dar um tempo aqui e já te encontro na rua beleza?
Ajeitei minha roupa, me despedi de alguns amigos e fui pro carro e fiquei pensando no que tinha feito e no que eu ainda iria fazer.
Sai com o carro da festa e fiquei com ele parado a umas duas casas de distância, já havia se passado uns 20 minutos e nada da Fernanda aparecer, estava ansioso e quase que volto lá para buscá-la, até que ela chegou e eu disse:
- Está a fim de me matar de ansiedade gata?
Ela sorriu e disse que não podia dar mole pras amigas dela não notarem, me deu um beijo e saímos voados em direção ao motel.
Para aquela noite escolhi o melhor, a escolha do motel tem que ser de acordo com a noite e aquela era especial, chegamos lá e pedi a melhor suíte, era meio cara, mas ia valer muito a pena, hidromassagem, champagne nessa noite ela merecia tudo.
Entramos na suíte, eu a abraçando por traz, adorava sentir que pelo menos nas próximas horas ela iria ser somente minha, ficamos de pé em frente à cama e continuei com meu abraço, ela virou a cabeça e nos beijamos, depois disso fui beijando seus ombros e lambendo suas costas enquanto ela ficava parada apenas suspirando.
Ela sentou na cama, soltou seus cabelos e os jogou para o lado, me sentei atrás dela e comecei a fazer uma massagem nos seus ombros, de olhos fechados ela delirava, comecei a beijar seu pescoço enquanto a massageava.
- Há quanto tempo você não faz?
- Já tem duas semanas, e olha que foi uma mal dada, depois ele virou pro lado e dormiu, espero que você faça melhor
- Esquece dele, pelo menos por essa noite, vou te mostrar como uma mulher tem que se sentir na cama.
Ainda sentado atrás dela coloquei as mãos nos seus seios e comecei a massagear, ela pousou as mãos dela sobre as minhas e elas seguiam meus movimentos, fui puxando a alça que segurava o vestido dela atrás do pescoço devagar com meus dentes até solta-la totalmente, larguei seus seios para que assim o vestido caísse livre deixando aquele belo corpo despido.
Ela ficou de pé e deixou o vestido cair até o chão, à visão era maravilhosa, aquela deusa na minha frente apenas de calcinha, veio lentamente em minha direção, colocou as mãos nos meus ombros e foi me beijando, desabotôo e arremessou pra longe minha camisa, eu a abracei e novamente começamos um beijo ardente enquanto lentamente deitávamos.
Dei a volta e fiquei por cima, beijei sua testa, lhe dei um selinho e fui descendo com minha língua por todo seu corpinho, até chegar ao umbigo, brinquei muito com seu piercing e desci mais, tirei sua calcinha e pela primeira vez olhei aquela cetinha, com os pelinhos bem aparados e molhadinha pra mim.
Fui beijando-a e lambendo a xoxotinha lentamente, agarrei sua bundinha e introduzia devagar a língua na entradinha e sentia aquele caldinho saboroso, ela dava umas tremidinhas e gemia também, dava pra notar que era uma bela mulher com carência de uma boa noite de amor.
- Uhmmm, não para que ta gostoso.
- Nem penso em parar.
Comecei a beijar seus grandes lábios com mais voracidade
- Isso, vai, faz tempo que não me sinto assim, começou a forçar com a mão minha cabeça na direção da cetinha dela, e eu não me incomodava, passava a língua bem rápido dentro e fazia movimentos circulares, depois ficava lambendo entre sua cetinha e seu cuzinho com a ponta da língua beem rápido e seus gemidos e movimentos só me davam mais certeza que ela estava adorando.
Ela levou as mãos aos cabelos e nessa hora a ponta de minha língua roça no seu grelinho, pra cima e pra baixo, nem lento nem rápido, mas pelo mel que estava saindo estava no ritmo certo.
Ela me puxou até ela e disse:
- Você é tudo, te quero agora.
Tirei minha calça enquanto ela abria a camisinha, que ela mesmo fez questão de colocar.
Ela pediu que eu sentasse de pernas abertas na cama e nem pensei em questioná-la, ela foi sentando devagar encaixando meu pau nela, passei meus braços ao redor do corpo dela e frente a frente, olhando bem fixamente um pro outro começamos uma penetração bem gostosa, eu a segurava e os movimentos foram aumentando, nos beijávamos e ela mexia cada vez mais forte.
- Faz tempo que não sinto essa sensação. Ela disse.
- É muito boa não é?
Comecei a conduzir os movimentos mais rapidamente e ela correspondia à altura fazendo aquele momento muito gostoso.
Me deitei e ela encaixadinha na minha pica começou a cavalgar, agarrei seus seios e enquanto os massageava ela começou os movimentos.
Fazia um pra frente e pra trás, depois dava umas reboladas bem gostosas que me levavam a loucura, depois começou a subir e descer rapidinho enquanto mexia muito nos seus biquinhos e acariciava aquelas tetinhas, eu dizia:
- Goza gata, goza. E ela só gemia
Começou a cavalgar mais forte e a gemer alto, ambos estávamos bem molhados, me levantei agarrando-a e a deitei, apoiado nos joelhos encaixei a cetinha dela no meu pau e mirando diretamente o olhar feliz dela comecei com estocadas bem rápidas, ia com meu corpo em direção a ela e beijava sua boca, seus seios, mas nunca parando de meter e me deliciando com seus gemidinhos, me deitei por completo sobre ela e revezando com alguns beijos metia forte, ela me arranhava bem enquanto eu metia, meu órgão nervoso e quente a atravessava ferozmente até que sinto seu corpo se entregar completamente ao prazer amolecendo e a ouço soltando um gemido mais alto.
- Ahhhhhhhh, como é bom gozar.
Ela me abraçou me apertando com muita força contra ela, enchi seu corpo de beijos e ela pediu para eu ficar de pé, tirou minha camisinha e deitada colocou os pés ao redor do meu pinto e começou a me punhetar.
- Já gozou assim antes?
Eu disse:
- Nunca.
Os movimentos que ela fazia com os pés eram frenéticos, me levaram a loucura e não demorou muito para que eu jorrasse sobre a barriga dela.
Após ejacular em sua barriga, ela ficou fazendo círculos com os dedos no local onde eu tinha gozado.
- Morninho assim, delícia.
Me deitei ao seu lado e ficamos curtindo um tempo abraçados e fazendo carinhos um no outro.
- Gostou?
- Sim, sim fazia tempo que não dava uma com vontade, não sabia que você era isso tudo rss.
A beijei e com um sorriso no rosto levantei e trouxe champgne pra nós.
- Olha só além de bom de cama é romântico, já da pra casar.
- Nem brinca com isso , rsss.
Após um tempo abraçados, bebendo e vendo TV não deu pra resistir ficar só naquilo com uma delícia daquelas do meu lado, peguei duas pedras de gelo e comecei a passar ao redor de seus mamilos.
- Friozinho assim é bom?
Com um sorriso maroto no olhar respondeu:
- Siim, ai é gostoso.
Continuei com os movimentos circulares naquelas belas tetas e ela já gemia baixinho pedindo para não parar, fiquei sobre ela e passei gelo por todo o seu corpo, começando no pescoço e descendo devagar entre seus seios e parando no umbigo, após isso deslizava a minha língua pelo mesmo caminho, voltei agarrando seus seios comecei pelo direito, abri bem a boca e tentei coloca-lo todo de uma vez, ela começou a apertar o outro e a lambê-lo enquanto eu sugava bem, chupava com vontade depois com os dois novamente em minhas mãos pressionei um contra o outro e fiquei deslizando minha língua entre eles, me foquei no esquerdo e comecei a mamá-lo como se fosse um bebê, depois prendi seu mamilo entre os dentes e mexia nele só com a ponta da língua aquele biquinho saltado pra fora.
- Nossa você sabe bem o que faz.
Ela se levantou cruzando suas pernas atrás das minhas costas e me beijando, pressionando minhas mãos para que eu não largasse seus seios.
A língua se cruzava sincronizada com a minha enquanto apertava mais aqueles seios durinhos, ela passeava a língua nos meus lábios e pra terminar ainda deu uma puxadinha neles com os dentes.
Me deitou e começou a chupar meu pescoço com força, foi descendo pelo meu tronco me enchendo de beijos e mordidas, ficou sentada sobre mim e passou suas unhas com força pelo meu abdômen e depois me fez ficar de costas.
- Aprendi isso pra usar com meu namorado, mas na verdade nunca deu vontade.
Após dizer isso começou a massagear minhas costas, depois começou a deslizar seus cabelos por ela me causando arrepios bem gostosos e depois maravilhosamente fui sentindo seus seios passearem sobre mim.
-Nossa, ele não sabe o que perdeu.
Me virou e deitou sobre mim, colocou seus seios sobre meu peito e foi descendo e subindo num ritmo bem gostoso, me dando sensações maravilhosa, ainda deitada desceu mais e segurou firme meu pau com uma das mãos e o colocou entre seus seios contraídos e começou a mexer numa velocidade bem gostosa.
- Uhmmmmm não para.
Ela aumentou mais a velocidade e a minha felicidade por estar ali naquele momento.
Estava ficando bem louco com os movimentos dela, não queria gozar por isso pedi pra parar e pra ela empinar a bundinha pra mim.
- Claro safadão.
Ficou na cama apoiada nas mãos e nos joelhos e aquele rabinho olhando pra mim, levantei e comecei a apertar e beijar aquela bunda durinha e gostosa mordiscava e lambia até o rego, meti minha mão no rego e comecei a fazer um vai e vem bem gostoso com três dedos dentro dela.
- Ta gostando?
- To.
E dei um tapa de leve na bundinha dela.
- Responde com vontade.
- Simm tô.
- Mais alto. E encho a mão pra um tapa um pouco mais forte e que estralou
- Siiiim, aiiiiiii não me torture assim, ela respondeu olhando pra trás com um sorriso de ninfeta levada.
Comecei a dedilhar mais rápido na buceta dela enquanto lambia bem rápido o seu cuzinho.
Levantei com ela na mesma posição, porém agora ao invés das mãos estava apoiada nos cotovelos, com cabelo no rosto e olhando pra trás e pela sua cara bem feliz.
Coloquei outra camisinha e me postei atrás dela, fui passando mais uma pedra de gelo pelas suas costas o que fez com que ela suspirasse alto quando minha mão chegou à sua nuca, me agarrei a seus seios e fiquei os acariciando por um tempo.
- Vai mete e me fode com gosto.
Com a esquerda presa a seu seio, com a mão direita encaixei novamente meu pau babão na sua cetinha:
- Sente?
- Claro, ahhhhhhhhhh essa coisa toda quente pulsando dentro de mim não tem como não sentir rsss hmmmmmm.
Agarrei a bunda dela e comecei fazendo movimentos bem lentos, o corpo dela acompanhava meus movimentos e a cetinha dela apertava bem meu pau quando se movia, alisava a bundinha dela e ela olhava pra mim com um dedinho na boca enquanto fazia esses movimentos bem gostosos.
Os gemidos se intensificavam e comecei a bombá-la mais depressa.
- AHHHHHH, não para, ta ficando mais gostoso, uauhahua devia ter saindo com você antes.
- Viu só o que perdeu?
- Ah mais hoje vou compensar, vai me castiga por isso.
Comecei a bombar rápido aquela cetinha que já pingava, ela levou sua mão direita até seu grelinho e se tocava enquanto eu metia.
Enrosquei minha mão nos cabelos dela e agora metia com mais vontade, já não falávamos nada apenas gemíamos alto num vai e vem bem gostoso, o barulho dos nossos corpos se encontrando ela alto e eu não tinha nem um pouco de dó de meter nela com força, estava pior que um cavalo.
Estávamos em um frenesi de prazer, eu metia rápido e forte e ela gritava alto enquanto eu puxava seus cabelos e estapeava sem dó sua bunda com a palma e com as costas da mão, estava realmente muito bom.
Ela se levantou e foi em direção a mesa da suíte, puxou a cadeira para o lado e colou a perna sobre ela e debruçou o resto do corpo sobre a mesa olhou pra trás e disse:
E ai não vai vir?
Ela apoiada sobre os cotovelos na mesa e com a boceta abertíssima me convidando.
Fui até ela e já encaixei minha pica com força, comecei a estocar sem dó, tirava meu pau até aparecer a base da cabecinha, depois socava pra dentro novamente sem me preocupar e ela gritava alto cada vez que eu fazia isso.
-Arrrrrrrgh ummmmmmmmm vai meteeeee ahhh AHHHH
Estava castigando bem a buceta dela, usava toda minha força e tentava socar até o fundo, ela suava e não parava de gritar.
- Hoje vou te fazer minha putinha, só minha.
- Socava com violência e seus gemidos eram cada vez mais altos fui nesse ritmo até que senti minha virilha ser molhada pelo melzinho que saiu dela e vê-lo pingando no chão.
-Gostou de ser tratada como uma vagabundinha?
- Arrrr Vagabundinha? Perguntou ainda ofegante.
Sentei na cadeira e a encaixei novamente em mim.
- Agora você vai ver quem manda seu safado.
Segurou na borda da mesa e começou a quicar com violência no meu pau, subia com força e meu pau quase saia pra fora e quando sentava era com tanta força que sua bunda estralava nas minhas coxas e minhas bolas estavam quase sendo esmagadas.
Ela já estava toda mole e não mais gemia gritava novamente, eu sempre tentava manter meu rosto e mãos perto do seu corpo, lambia, cheirava, alisava, apertava o prazer me dominava e não estava raciocinando direito.
- Me pega. Ela disse.
Agarrei sua cintura enquanto ela levou as mãos aos seios e com os dedos puxava os mamilos pra frente, continua pulando em mim até que começou a alisar seu próprio corpo sentou forte deu uma bela suspirada e deixou seu corpo mole cair sobre o meu enquanto sua boceta encharcava meu pau e minhas coxas com o mais doce dos mels.
Eu logo tratei de abocanhar um de seus seios e continuar estimulando seu clitóris enquanto ela estava sentada/deitada sobre mim, ela se levantou devagar e ajoelhou olhando pra mim como se pedisse algo, logo de cara entendi, fiquei de pé tirei a camisinha e comecei a bater meu pau na cara dela.
Ela pôs a língua pra fora e não me neguei em ficar batendo minha rola na língua dela, ela mexia bem a língua e apertava minhas bolas de forma bem gostosa, depois ficou bem próxima de mim, colocou meu pau entre seus seios, cruzou os braços pra pressionar bem e começou a mexer numa espanhola deliciosa.
- Já sabe como me agradar hein?
- Claro gato, convivo com você há quatro anos.
Agora pressionado os seios com as mãos bem forte e fazendo com que meu pau estivesse naquela pressão macia me fez gozar num jato bem quente que encobriu todo seu pescoço e colo.
Após uma bela gozada a levei pra hidro massagem já era de madrugada e apesar do cansaço não queria parar.
Ficamos lavando o corpo um do outro e muita brincadeira com água e sabão, ficamos um bom tempo só nos beijando e acariciando como se fossemos mesmo um casal de namorados.
- Se arrepende?
- Não vamos falar disso gato.
Estava acariciando sua cetinha enquanto ela estava deitada no meu peito, sentei na borda da hidro e ela logo entendeu o chamado.
- Sim, respondeu alisando a cabecinha do meu pau.
- Ele foi muito bom comigo essa noite.
Segurou a base dele ainda meio mole e começou a beijar a cabecinha.
Lambia, sugava, beijava e no fim estava em um boquete tão gostoso que tirou as últimas reservas de gozo do meu pau.
Após isso ela foi para o chuveiro tomar banho, eu fiquei na hidro só espiando ela lavar e tirar a porra do corpo, não resisti por muito tempo, fui até ela e comecei a ensaboar seu corpo, brincamos bastante e finalizei me ajoelhando e chupando aquela cetinha toda vermelhinha.
- Nossa, não cansa hein?
- O que é bom nessa vida não cansa.
Coloquei uma de suas pernas sobre meu ombro e suguei com mais intensidade.
- Delícia, nunca fui chupada no banho é ótimo.
Estava com as mãos nos meus ombros em apoiada em um pé só, e enquanto eu lambia a base do seu grelinho soltou seus últimos gemidos de prazer abafados pelo cansaço.
Dormimos juntinhos e após o café fomos embora, perguntei se ainda queria voltar pra festa já que ainda ia rolar um churrasco da galera ela disse que não e que já estava satisfeita.
A deixei em casa, nos despedimos com um beijo não tão quente dessa vez e ela se foi eu também fui pra casa após isso.
Me formei, bebi muito e ainda tracei o meu sonho de consumo da época, estava mais que satisfeito.
Espero que tenham gostado.